Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias
IHS Markit projeta mercado de 2,45 milhões de veículos leves no Brasil em 2021

Conjuntura | 29/01/2021 | 20h40

IHS Markit projeta mercado de 2,45 milhões de veículos leves no Brasil em 2021

Consultoria calcula desempenho 200 mil unidades acima do previsto por Anfavea e Fenabrave

PEDRO KUTNEY, AB

Em seu primeiro relatório do ano de projeções para os mercados brasileiro e argentino (publicado regularmente por Automotive Business), a consultoria IHS Markit estima que em 2021 serão vendidos 2,45 milhões de veículos leves no Brasil, em crescimento de 25% sobre 2020.

A previsão indica que o volume ainda ficará abaixo do registrado em 2019, de 2,66 milhões de automóveis e comerciais leves, mas é sensivelmente mais otimista do que as expectativas divulgadas no início do mês por Anfavea e Fenabrave, respectivamente as associações que reúnem os fabricantes e seus concessionários no País. Ambas as entidades têm projeções mais conservadoras, esperam por vendas totais de 2,25 milhões, em alta de 15% sobre o ano anterior, ou 200 mil veículos abaixo e evolução porcentual 10 pontos inferior do que prevê a IHS Markit.



- Faça aqui o download dos dados da IHS Markit
- Veja outras estatísticas em AB Inteligência



Anfavea e Fenabrave avaliam que o bom impulso nas vendas no último trimestre de 2020 deverá ser refreado no início deste ano pelo recrudescimento da pandemia de coronavírus, o aumento do ICMS aplicado sobre veículos novos e usados no Estado de São Paulo (responsável por quase um terço dos emplacamentos no País) e o fim da isenção de IOF nos financiamentos. A avaliação é que essa combinação de fatores negativos deve ter impacto no resultado do ano todo.

Embora também reconheça esses fatores, a IHS Markit estima que eles poderão ser parcialmente compensados por uma maior demanda nos próximos meses, como aconteceu em 2020 dois meses após o impacto da pandemia, iniciado no meio de março quando as vendas diárias atingiram o menor patamar do ano (apenas mil unidades/dia). Em dezembro esse indicador alcançou o maior volume em 12 meses, chegando a 11.595 veículos leves emplacados a cada dia útil, totalizando 231,9 mil emplacamentos no mês.

Esse ritmo de vendas indica um ano à frente de quase 2,5 milhões de unidades, segundo aponta o índice SAAR (Seasonnally Adjusted Annual Rate) calculado pela consultoria, que anualiza o resultado mensal com ajustes para suavizar as variações sazonais que ocorrem durante o ano.

Com base no resultado esperado de 2021, a IHS Markit também apresentou sua projeção para o mercado brasileiro em 2022, estimando a venda de 2,62 milhões de veículos leves (volume mais próximo do registrado em 2019), o que revela evolução mais contida do mercado nacional, que seria de apenas 7,1% em relação ao ano anterior.

PRODUÇÃO DE 2,51 MILHÕES EM 2021



Prevendo menos restrições e paralisações, a IHS Markit estima que a produção de veículos leves no Brasil em 2021 deve crescer mais que a evolução do mercado, totalizando 2,51 milhões, em alta de 28,9% sobre 2020 – projeção um pouco melhor também do que a divulgada pela Anfavea, que calcula que as fabricantes instaladas no País vão produzir 2,38 milhões de automóveis e comerciais leves, volume 25% maior do que o do ano anterior.

Para 2022 a projeção da consultoria é que a produção brasileira de veículos leves alcance 2,74 milhões, em crescimento mais tímido de 9% ante 2021, e ainda bastante abaixo das quase 3 milhões de unidades fabricadas em 2019.

ARGENTINA



A Argentina deverá seguir fortemente afetada pela crise econômica iniciada dois anos antes da pandemia, que acirrou ainda mais o problema. A IHS Markit projeta crescimento mais acelerado da produção do que das vendas domésticas, graças à recuperação esperada no Brasil, destino de mais da metade das exportações de veículos do país vizinho.

A consultoria prevê a produção de 377,5 mil veículos leves na Argentina este ano, o que revela substancial alta de 40,7% sobre 2020, mas sobre base muito baixa de apenas 268,2 mil unidades produzidas. Devido aos protocolos de prevenção à Covid-19 adotados no país, as fábricas argentinas ficaram fechadas por cerca de dois meses em média, o que puxou os números para níveis historicamente muito baixos.

Para 2022, sem expectativa de interrupção nas fábricas, a IHS projeta evolução bem mais tímida da produção argentina, de apenas 2,9%, para 388,5 mil veículos.

A estimativa para o mercado doméstico argentino este ano é de 369,4 mil veículos leves vendidos, em crescimento de 15,1% sobre 2019. Para 2022 a previsão é de crise continuada, com expansão de apenas 2,5%, para 378,7 mil unidades.



Tags: IHS Markit, projeção, previsão, mercado, produção, indústria, Brasil, Argentina.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now