Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias
Daimler planeja se dividir em duas: Mercedes-Benz e Daimler Trucks
Plano da Daimler de separar em duas empresas independentes a Mercedes-Benz e a Daimler Trucks foi apresentado em teleconferência com investidores na Europa

Indústria | 03/02/2021 | 20h00

Daimler planeja se dividir em duas: Mercedes-Benz e Daimler Trucks

Empresa pretende separar o controle dos negócios e lançar novas ações da fabricante de caminhões e ônibus até o fim de 2021

PEDRO KUTNEY, AB

O Grupo Daimler planeja implementar novas e importantes alterações em sua estrutura organizacional ainda este ano, segundo informou em teleconferência com investidores na quarta-feira, 3. Os conselhos de supervisão e administração concordaram em dividir a corporação em duas empresas totalmente independentes, com o lançamento de ações próprias da unidade de caminhões e ônibus Daimler Trucks, que assim ficará definitivamente separada da Mercedes-Benz, que hoje concentra as operações de automóveis e vans.





A intenção é que o plano seja aprovado pelos acionistas em uma assembleia extraordinária ainda a ser agendada no terceiro trimestre, para lançar a fabricante de veículos pesados como companhia independente na Bolsa de Frankfurt, Alemanha, até o fim de 2021. Também foi informado que um pouco mais adiante o grupo pretende mudar seu nome de Daimler para Mercedes-Benz.

SEPARAÇÃO TOTAL



Em 2018, a companhia já havia feito uma divisão operacional do grupo em três unidades: Mercedes Benz Cars & Vans, que concentra os negócios de automóveis e comerciais leves da marca; Daimler Trucks, que produz caminhões e ônibus das marcas BharatBenz, Freightliner, Fuso, Mercedes-Benz, Setra, Thomas Built Buses e Western Star; e a divisão financeira e de serviços de mobilidade Daimler Mobility. Mas ao contrário do que está sendo proposto, não houve separação de capital, todas as divisões permaneceram sob uma única identidade acionária e controle do Grupo Daimler. A ideia agora é lançar ações próprias da Daimler Trucks.

Segundo a empresa, a transação é relativamente independente das condições de mercado e não deverá enfrentar obstáculos de órgão reguladores, porque não requer investimentos adicionais, as ações da nova companhia independente, a Daimler Trucks, serão apenas distribuídas aos atuais acionistas do Grupo Daimler, que pretende manter participação minoritária na companhia e ceder o controle ao mercado.

Após a separação acionária, Mercedes-Benz e Daimler Trucks terão concelhos e administração completamente independentes. As duas empresas vão absorver cada uma a parte que lhes cabe da Daimler Mobility, criando divisões internas de operações financeiras e de serviços de mobilidade.

Para Ola Källenius, presidente do conselho de administração do Grupo Daimler e da Mercedes-Benz, a proposta de separação vai criar duas empresas mais eficientes, a Mercedes-Benz focada no mercado global de carros de luxo comprometida em liderar o desenvolvimento de automóveis elétricos premium e sistemas de computação veicular, e a Daimler Trucks como maior fabricante mundial de caminhões e ônibus que busca acelerar a aplicação de tecnologias para reduzir emissões e ampliar a segurança ativa dos veículos.

“Mercedes-Benz Cars & Vans e Daimler Truck & Buses são negócios diferentes com clientes específicos, tendências tecnológicas próprias e necessidades de capital distintas. Acreditamos que ambas estão maduras para operar de forma mais efetiva como entes independentes, com forte liquidez e livres das limitações estruturais de um conglomerado”, afirmou Ola Källenius.



DIVISÃO SÓLIDA



A empresa que deverá ser formalmente separada do Grupo Daimler até o fim do ano, a Daimler Trucks, atua em 35 mercados no mundo com 100 mil empregados e cinco marcas de caminhões e duas de ônibus, que juntas somaram vendas globais perto de meio milhão de veículos pesados em 2019. No último balanço anual divulgado em 2019 a operação de caminhões faturou € 40,2 bilhões e a de ônibus € 4,7 bilhões, apurando lucro antes de impostos e despesas financeiras (Ebit) de € 2,5 bilhões e € 283 milhões, respectivamente.

“A independência traz mais oportunidades, visibilidade e transparência. Vamos crescer e consolidar nossa liderança em propulsão alternativa e automação. A Daimler Trucks tem base financeira sólida e modelo de negócios robusto. Vamos continuar a trabalhar na administração de nosso fluxo de caixa e sabemos como lidar com os ciclos do mercado, provamos isso com a retração relacionada à Covid-19. Vamos usar nossas bem-conhecidas marcas globais, escala e tecnologias para entregar os melhores retornos da indústria”, afirmou Martin Daum, membro do concelho de administração do Grupo Daimler e atual presidente da Daimler Trucks.

NEGÓCIOS INCOMPATÍVEIS



Nas últimas décadas os negócios de veículos leves e pesados parecem ter se tornado incompatíveis dentro de um mesmo grupo automotivo. A Daimler está entre as últimas do setor a seguir a estratégia de separar as divisões de automóveis das de caminhões e ônibus.

O antigo Grupo Fiat (depois FCA e agora Stellantis) fez o mesmo em 2010, quando criou a Fiat Industrial para abrigar a Iveco e a fabricante de motores FPT, depois incorporadas na hoje CNH Industrial. Mais recentemente, o Grupo Volkswagen criou o Traton Group para alocar de forma independente as fabricantes de veículos comerciais pesados MAN, Scania e VWCO.

Outras, como Ford e GM, simplesmente fecharam suas unidades de caminhões de grande porte. Há mais de 20 anos Volvo Group e Volvo Cars são corporações diferentes, enquanto algumas empresas venderam as operações de caminhões a companhias especializadas – como foi o caso da Nissan Diesel vendida à Volvo e da Mitsubishi que vendeu a Fuso à atual Daimler Trucks.



Tags: Daimler, Mercedes-Benz, Daimler Trucks, separação, divisão, ações.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now