Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias
Jeep alcança marca histórica no Brasil em janeiro
O Jeep Renegade foi o SUV mais vendidos do País em janeiro, com mais de 7 mil unidades

Mercado | 04/02/2021 | 18h56

Jeep alcança marca histórica no Brasil em janeiro

Obteve 7,5% de participação no mercado e chegou à 5ª posição entre as mais vendidas pela primeira vez

WILSON TOUME, PARA AB

A Jeep conseguiu um feito histórico no Brasil em janeiro deste ano, ao subir à quinta posição entre as marcas mais vendidas do País, abocanhando 7,5% de participação no mercado geral. Foi a primeira que a montadora conseguiu atingir esse volume que representa crescimento surpreendente. Para se ter ideia, a marca fechou janeiro de 2020 com 4,7% de participação e 8,7 mil emplacamentos, enquanto este ano foram 12,1 mil.





Não se pode esquecer que a Jeep conseguiu esse feito com apenas dois modelos produzidos no Brasil (Renegade e Compass), e que disputam faixas de mercado de preço mais alto, enquanto fabricantes que possuem veículos mais acessíveis e de maior volume, como a Renault, ficaram para trás. “Essa participação chega a assustar”, reconheceu Everton Kurdejak, diretor de operações comerciais da Jeep no Brasil. “Mas quando a gente lembra da qualidade de nossos produtos, do grau de fidelização da marca, que é a segunda do mercado, e de outras características de nossos produtos, vemos que esse resultado não foi obtido à toa”, afirmou.

O resultado expressivo no ranking geral de vendas é fruto do ótimo resultado conseguido no segmento de SUVs, no qual a marca obteve 25,3% de participação em janeiro. Essa marca é a segunda melhor registrada pela Jeep no País, atrás somente dos 25,8% obtidos em dezembro de 2016, logo após o lançamento do Compass, quando havia muito menos concorrentes no mercado.

“Ser líder de um mercado cada vez mais competitivo como o de SUVs e ainda emplacar o veículo mais comercializado do segmento (Renegade) é reflexo dos esforços de diferentes áreas”, declarou Kurdejak. “Vale também dizer que este ano teremos grandes novidades, para obtermos resultados ainda mais relevantes”, completou Alexandre Aquino, diretor da Jeep para a América Latina.

NOVO MODELO NACIONAL E PELO MENOS UM ELETRIFICADO EM 2021



Falando em novidades, o diretor de operações comerciais da Jeep anunciou que no dia 4 de abril – o “dia da Jeep”, por ser 4/4 – serão revelados o nome e algumas informações adicionais sobre o aguardado novo SUV da marca, como a data do lançamento e a possibilidade de estreia do motor 1.3 flex turbo (que, pelo que Kurdejak insinuou, pode não ser lançado no Renegade, ao contrário do que foi especulado). Já a reestilização do Compass deve ficar para o segundo semestre.

O executivo também revelou que o programa de automóveis por assinatura Flua!, cujo projeto-piloto começou no dia 15 de janeiro em seis cidades paulistas e Curitiba, recebeu sinal verde para ser estendido para todo o País, indicando que os resultados foram melhores do que o esperado.

Por fim, Kurdejak confirmou que a empresa pretende trazer pelo menos um modelo eletrificado para o Brasil – a marca conta com as versões híbridas plug-in, batizadas 4xe de Renegade e Compass no exterior. “Certamente será no fim do ano e estamos trabalhando para que esse lançamento não fique para o 2022”, disse o executivo. “Nossa intenção é trazer os dois, mas se não for possível, vamos importar pelo menos um deles”, afirmou, lembrando que, de qualquer forma, serão veículos de nicho, pelo fato de serem importados e, portanto, com preço mais elevado.



Tags: Indústria, Jeep, recorde, ranking, participação, Renegade, Compass, eletrificados, híbridos plug-in, 4xe, Alexandre Aquino, Everton Kurdejak.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now