Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias
Após forte queda em 2020, Volvo Bus espera crescimento de 13% em 2021
Ônibus biarticulado da Volvo em Curitiba: uma das poucas grandes vendas de 2020

Indústria | 09/02/2021 | 22h00

Após forte queda em 2020, Volvo Bus espera crescimento de 13% em 2021

Mercado de ônibus foi o mais afetado pela pandemia e vendas da marca no Brasil caíram 40% no ano

PEDRO KUTNEY, AB

O mercado de ônibus foi o mais afetado pela pandemia de coronavírus em 2020 e os negócios da Volvo Bus foram ainda mais impactados, porque a fabricante atua com os produtos que registraram as maiores quedas. Agora as perspectivas são de retomada gradual e lenta do setor de transporte público de passageiros urbano e rodoviário, com expectativa de crescimento de 13% nas vendas de modelos acima de 16 toneladas, o que será insuficiente para recuperar as perdas do ano passado.





“Foi o segmento mais golpeado pela pandemia e atuamos justamente com os modelos que mais sofreram esse impacto, não temos produtos aplicados no Caminho da Escola (programa federal para compra de ônibus escolares), que foi o segmento que sustentou os negócios em 2020”, explica Fabiano Todeschini, presidente da Volvo Bus América Latina. Com esse perfil, as vendas de chassis da marca no Brasil de 444 unidades representaram forte queda 40,3% em 2020 sobre 2019 – acima da retração média do mercado de 33%.

A queda só não foi maior porque a Volvo comercializou 216 modelos semipesados, segmento em que obteve crescimento de 34% sobre 2019, graças à expansão das compras de ônibus para fretamento, mais utilizados pelas empresas para reduzir os riscos de contágio ela Covid-19. Além destes, foram vendidos 157 chassis rodoviários pesados e 71 urbanos pesados.

A exportações, embora também em queda, ajudaram a suavizar a retração no Brasil. A Volvo Bus negociou 257 chassis no Chile e 323 na Colômbia, também embarcou 746 unidades para a África, 440 para o Congo e 153 para Angola.

Entre os poucos grandes negócios fechados em 2020, alguns com entregas que serão feitas este ano, Todeschini destaca a venda de 321 ônibus para o sistema de transporte de Bogotá, capital da Colômbia; 200 modelos articulados para a Transantiago, na capital chilena; 61 chassis padron para a cidade de São Paulo; e 40 unidades para Curitiba (PR), envolvendo articulados, biartibulados e padron.

Para este ano Todeschini afirma que a Volvo Bus tem boas condições de fornecer mais ônibus para Santiago, no Chile, pois apresentou a primeira e segunda melhores propostas (respectivamente com os encarroçadores Marcopolo e Caio) na licitação realizada no fim do ano passado, que deverá ser definida nas próximas semanas. Seerá um novo modelo de negócio, em que a propriedade dos veículos será da Volvo Financial Services, que arrendará os modelos aos operadores.

A expectativa de alta de 13% nas vendas de 2021, segundo o executivo, está lastreada na recuperação gradual do emprego formal, que aumenta a demanda por transporte público, e na continuação da expansão da procura por modelos para fretamento nos setores da economia que estão em crescimento, como mineração, indústria, construção civil e agronegócio.



Tags: Volvo Bus, indústria, ônibus, produção, resultado 2020, projeção 2021, pandemia, coronavírus, Covid-19.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now