Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias
Nissan pode ter novidades sobre célula de combustível no Brasil

Tecnologia | 23/02/2021 | 19h11

Nissan pode ter novidades sobre célula de combustível no Brasil

Veículo desenvolvido no País tem autonomia de 600 km com 30 litros de etanol

PAULO RICARDO BRAGA, AB

A Nissan testa no Japão dois furgões movidos a célula de combustível desenvolvidos no Brasil em 2016 e 2017 a partir de veículos da marca 100% elétricos e-NV200 e agora conhecidos como protótipos SOFC – Solid Oxide Fuel Cell. “O País foi o primeiro a ter testes com as duas unidades, antes mesmo do Japão” – disse a Automotive Business o gerente sênior de engenharia de produto da Nissan do Brasil, Ricardo Abe, que acompanha desde o início o projeto no Brasil.



Ele enfatiza que em breve terá “boas novidades” sobre o tema, o que sugere a participação do Brasil nas novas etapas desse empreendimento. O sistema SOFC foi criado na matriz da companhia, mas o projeto dos furgões teve forte atuação da equipe de pesquisa e desenvolvimento da Nissan do Brasil. Com isso, o País tem papel importante no desenvolvimento dessa tecnologia de células de combustível com o emprego de etanol.

“Nossos técnicos acompanham de perto a performance dos dois furgões, que seguem em testes no Japão”, observa Abe.



COLABORAÇÃO POR CÉLULA DE COMBUSTÍVEL A ETANOL



O projeto dos furgões com o sistema SOFC tem a participação também do Ipen – Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares, da USP e também já teve o apoio do Laboratório de Genômica e BioEnergia da Unicamp. “A parceria com essas instituições ajuda a avaliar a viabilidade do projeto. Cada uma tem um papel diferente nas pesquisas usando suas expertises dentro da cadeia do etanol e biocombustíveis” – pondera o engenheiro da Nissan.

“O conhecimento das instituições brasileiras contribui de forma relevante para uma iniciativa global da marca, que pode beneficiar não só o Brasil, mas todo o mundo”, diz Marco Silva, presidente da Nissan do Brasil.



Ele explica que a Nissan foi a primeira empresa da indústria automobilística mundial a desenvolver um protótipo de veículo movido por uma Célula de Combustível de Óxido Sólido (SOFC), que funciona através de energia elétrica gerada a partir da utilização do bioetanol.

A utilização deste tipo de sistema, combinada com a alta eficiência dos motores elétricos e o sistema de bateria, garante ao Nissan SOFC uma autonomia superior a 600 km com 30 litros de etanol. Por contar com uma ampla rede de abastecimento de etanol, disponível em postos de todo o Brasil – e ser um dos principais produtores do mundo –, o Brasil tem sido peça chave para o desenvolvimento e estudos de viabilidade do projeto.

Em abril de 2019, a fabricante japonesa e a Unicamp assinaram um contrato para estudar as tendências e o uso do combustível na mobilidade elétrica.



Tags: Nissan, célula de combustível, carro elétrico, SOFC, Solid Oxide Fuel Cell.

Comentários

  • JeffersonGuatura

    Parabénsa NISSAN, UNICAMP e USP pelo desenvolvimento da célula de combustível SOFC, a etanol, pois será, com certeza, uma promissora alternativa futura para a substituição dos motores a combustão, no Brasil (etanol), nos EUA (metanol) e no mundo.

  • AlexandreOrnellas Cardeira

    Muitobom! O potencial desta tecnologia para o país e a indústria brasileira é enorme!

  • FranciscoGalvão

    Esteé o futuro inclusive para a aviação elétrica onde o uso de células de combustível tem a vantagem do peso de combustível diminuir durante o voo (como no caso de motores a combustão) o que não acontece nos aviões elétricos usando baterias, o que permite um alcance muito maior. As células de combustível a etanol tb tem grande vantagem sobre as a Hidrogênio um combustível que em forma gasosa ocupa um volume muito grande e em forma liquida requer o gasto de muita energia para sua liquefação e tanque pesados para armazenamento, para não falar na inexistência de infra estrutura para geração armazenamento e distribuição deste gás como a que já temos para o etanol no Brasil.

  • MarcosAntonio Germano

    Meparece uma das melhores alternativas, visto que temos o Etanol, não vamos ficar reféns de postos de energia e claro, poderemos rodar muitos quilômetros mais, sem ficar olhando para quanto temos de carga.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

Mobility Now

ABTV

Mobility Now