Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias
Brasil chega ao futuro sem fazer a lição do passado, diz Carlos Zarlenga
Para Carlos Zarlenga, presidente da GM América do Sul, Brasil precisa virar um hub de exportação

Indústria | 17/03/2021 | 12h45

Brasil chega ao futuro sem fazer a lição do passado, diz Carlos Zarlenga

No Simea 2021, presidente da GM afirma que o País deixou de ser a promessa mundial que era há 10 anos e precisa superar três desafios para enfrentar a eletrificação

ZECA CHAVES, AB

“O Brasil está chegando a este momento de grande mudança não da melhor maneira. Estamos chegando ainda com lições de casa para a serem feitas, tanto das tecnologias anteriores como do modelo de negócio anterior”. O alerta foi feito pelo presidente da GM América do Sul, Carlos Zarlenga, durante a abertura do Simpósio Internacional de Engenharia Automotiva (Simea) 2021.

Ele lembrou que dez anos atrás a indústria brasileira era vista como uma das que receberiam o maior investimento do mundo e que ela teria um crescimento na região de forma explosiva. “Passados dez anos, hoje a percepção global é outra”, disse Zarlenga, que também é o presidente de honra da 28ª edição do Simea, que é organizado pela Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA). “E as mudanças de tecnologia atuais podem trazer ainda mais problemas no futuro.”

Zarlenga ressaltou que é necessário que o Brasil reconheça o problema e comece a trabalhar já para reverter essa situação e voltar à expectativa global de crescimento, atacando em três frentes em conjunto.

Na eletrificação, o País precisa iniciar logo uma conversa séria e profunda sobre o tema, para descobrir que caminho seguir na criação da infraestrutura e na produção e desenvolvimento de veículos e baterias.

Nos fundamentos mais básicos da indústria, ainda há lições de casa a serem feitas. “Precisamos fazer reformas que vão permitir ao Brasil virar um hub de exportação. Nós temos de ter mercados que são cobertos a partir do Brasil senão será muito difícil conseguir mais investimento externo para a eletrificação”, explicou Zarlenga.

Por último, analisando com atenção a manufatura 4.0, é necessário ter como foco aumentar ainda mais a eficiência e a produtividade dentro das fábricas. “E olhando esses três pontos, são os engenheiros que vão fazer a grande diferença”, concluiu Zarlenga. “Esse vai ser o único caminho para o Brasil dar continuidade à glória do passado.”



Tags: Carlos Zarlenga, GM, Simea, Indústria, Elétricos, Engenharia, AEA, Exportação.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now