Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias
Guerra é comprada e vai reabrir fábrica em Caxias do Sul
Fábrica da Rodofort em Sumaré (SP): produção vai será complementar à da Guerra

Negócios | 07/04/2021 | 12h33

Guerra é comprada e vai reabrir fábrica em Caxias do Sul

LIH comprou a unidade por R$ 90 milhões e vai unir negócio com a Rodofort, sua outra fabricante de implementos

REDAÇÃO AB

Aquela que já foi a segunda maior fabricante de implementos rodoviários do Brasil deve voltar a produzir. A Guerra, que teve falência decretada em 2017, foi arrematada por R$ 90 milhões pela LIH, que planeja reabrir a fábrica de Caxias de Sul (RS) ainda este ano. A LIH pertence ao grupo I.Riedi, que também é dono da Rodofort, outra tradicional empresa do setor.

Para reativar a fábrica da Guerra, o grupo estima que investirá R$ 10 milhões para que a empresa comece a vender seus produtos no último trimestre de 2021. Quando começar a produção, o objetivo é que a Guerra trabalhe de forma complementar à Rodofort, que tem sede em Sumaré (SP), para que ambas possam entregar neste ano 2.350 implementos no segmento pesado (carretas).

“Essa aquisição responde à nossa estratégia de expansão no mercado de implementos rodoviários que no momento atual tem forte demanda por produtos”, explicou Alves Pereira, diretor-geral da Rodofort.



ETERNA RIVAL DA RANDON



A Guerra foi a maior concorrente da Randon, e as duas empresas tiveram trajetórias parecidas. Foram fundadas pelos empresários Ângelo Guerra e Raul Randon, que começaram a vida fabricando implementos rodoviários no mesmo bairro de Caxias do Sul. Com a morte prematura de Ângelo, a segunda geração da família Guerra assumiu o controle da empresa muito antes do que ocorreu na Randon. A empresa acabou sendo vendida ao um grupo francês em 2008, que decretou sua falência nove anos depois.

A produção da Guerra deverá seguir a estratégia da Rodofort: produzir produtos de linha, mas com espaço para customização. Enquanto a fábrica de Caxias do Sul será responsável pelas linhas basculante, tanque e granel, a unidade de Sumaré vai cuidar dos modelos sider, baú, porta-conteiner e florestal. Com a chegada da Guerra, a rede de distribuição da Rodofort deve aumentar para 30 representantes (hoje são 18 empresas parceiras).

A Rodofort entregou no ano passado 1.350 implementos e prevê distribuir ao mercado interno neste ano 2.100 unidades. Para a Guerra, a estimativa é fabricar cerca de 250 unidades. Com essa parceria, há planos para investir nas exportações. Os primeiros alvos serão transportadores que operam na Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai.



Tags: Guerra, Rodofort, implementos, caminhões, Caxias do Sul, Sumaré, Randon, Alves Pereira.

Comentários

  • WilsonBridi

    Ótimanotícia . Temos que recuperar nossa economia , gerando novos empregos .

  • JariS pereira

    Atéque em fim uma boa notícia em época de muitas empresas abandonando o nosso país nessa hora tão delicada com muito desemprego que tenha muito sucesso parabéns Caxias do Sul é se aremangar e trabalhar

  • Valdecir

    Euma ótima notícia para nosso polo metal metalúrgica em Caxias do Sul sempre bem vinda para os trabalhadores gaúchos .

  • Eliasde Oliveira

    Parafoi uma melhores empresas ja trabalhei nao só funcionário ajuda a famílias dos funcionário gostaria trabalhar de novo elias de Oliveira fui pintor

  • AlbertoDarci silva

    Parabénsaos novos empreendedores por que da tristeza ver aquilo tudo abandonado Deus abençoe a todos

  • WaldevinoAntônio Novello

    AGuerra sempre esteve com a melhor qualidade em implementou de transporte. Afirmação que tive de grandes transportadores.

  • RafaelSganderlla

    Parabénsaos investidores que confiaram na força do nosso povo Caxiense na força do nosso chão de fábrica na força dos nossos gestores e passaram por cima das barreiras da burocracia que engessa o nosso País

  • AlexandreLuis Meneghetti

    Soufã da guerra já comprei 2 na fábrica em Caxias do Sul...aguardando para a compra da terceira...ótima carreta...

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now