Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias
Honda anuncia chegada do Accord híbrido para junho
Por fora, o Accord híbrido exibe poucas mudanças. O principal – o sistema híbrido – está sob a carroceria

Lançamentos | 09/04/2021 | 15h00

Honda anuncia chegada do Accord híbrido para junho

Sedã tem inovador sistema com dois motores elétricos e vai substituir a versão atual a gasolina; preço não foi revelado

WILSON TOUME, PARA AB

A Honda Automóveis anunciou na sexta-feira, 9, que vai passar a oferecer o Accord, o sedã mais sofisticado de seu portfólio, apenas na versão híbrida, que chega ao mercado nacional até o fim do primeiro semestre deste ano. Por conta disso, a empresa não revelou o preço do novo modelo, mas é de se esperar que ele custe bem mais do que a versão atual, cotada em R$ 210 mil, aproximadamente.

Visualmente, vai ser preciso estar muito atento para perceber as diferenças do híbrido para o modelo atual, que se limitam à parte inferior dos para-choques, filetes cromados na grade, rodas com novo desenho e os emblemas na tampa traseira. Na parte interna, a principal novidade é que a central multimídia agora dispensa o uso de cabos para se conectar aos celulares (Android e iOS). O carregador por indução no console também está mais potente – e rápido – segundo a Honda.

A grande atração do Accord híbrido é mesmo o conjunto motriz, que utiliza um sistema exclusivo da Honda (batizado de e:HEV), com dois motores elétricos e um a combustão. Embora possa ser classificado como um híbrido misto – no qual a central eletrônica escolhe o tipo de propulsão mais indicado para a situação – o Accord é movimentado quase sempre pelo motor elétrico de tração, que entrega 184 cavalos e 32,1 kgfm no modo totalmente elétrico ou no híbrido. Já o 2.0 de ciclo Atkinson com 145 cavalos e 17,8 kgfm só é usado em condições nas quais proporciona mais eficiência que o elétrico, como em viagens e longos trechos em velocidade constante. Por fim, o outro motor elétrico (gerador) trabalha em conjunto com o convencional, mas apenas para fornecer energia para a bateria.

LIMPO E SILENCIOSO



Na prática, de acordo com a Honda, esse sistema proporciona maior economia e eficiência, além de mais conforto ao rodar, já que o motor a combustão trabalha sempre próximo de sua condição ideal, em baixas rotações. Assim, o Accord híbrido pode alcançar consumo de 17,6 km/l na cidade e de 17,1 km/l na estrada. Outra vantagem do conjunto híbrido e:HEV é o tamanho compacto. Por conta disso, o espaço interno é exatamente o mesmo da versão a gasolina, inclusive no porta-malas, já que o conjunto de baterias é alojado sob o banco traseiro.

O Honda Accord híbrido também traz aprimoramentos no quesito segurança, com a nova função Low Speed Braking Control no Honda Sensing, que freia o carro caso detecte uma possibilidade de colisão. Controlador de velocidade de cruzeiro adaptativo, alerta de colisão frontal com frenagem autônoma de emergência e assistente de manutenção em faixa com alerta de desvio são outras funções do equipamento.

O Honda Accord será o primeiro dos três automóveis com sistema híbrido que a empresa prometeu lançar no País até 2023, como parte de seu plano de eletrificação para o mercado nacional (os outros dois ainda não foram confirmados). O objetivo da montadora é que dois terços de suas vendas globais sejam de modelos eletrificados até 2030, alcançando a neutralidade de emissão de carbono até 2050.



Tags: Lançamentos, Honda, Accord, híbrido, sedã, e:HEV, eletrificação, motores, junho.

Comentários

  • GermanoAlmeida

    Bomdia: Muito obrigado pela notícia mas independente de se tratar de um carro de nível muito caro, como sugestão, talvez pudesse informar na notícia de onde esse veículo será fabricado/peças, uma vez que esse tipo de carro hoje só é montado no Brasil pela Toyota e mesmo assim com powertrain todo importado. Ele bem poderia ter o motor combustão flex-fuel atrelando preocupação adicional com nossa cadeia energética/indrustrial local. São carros especiais mas sem terem industrialização local incluindo as autopeças além da montagem, dão impressão de que ao compra-los, estamos patrocinando um futuro local ruim pra nós mesmos já que nossa indústria local não produz riqueza/empregos. O comentário/reflexão, vai ao encontro da coluna Opinião Zeca Chaves de 9/4, também muito boa! Obrigado pela oportunidade de comentar.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now