Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias
Tupy e USP fecham parceria para reciclagem de baterias

P&D | 28/04/2021 | 16h15

Tupy e USP fecham parceria para reciclagem de baterias

Com investimento de R$ 4 milhões, projeto quer desenvolver tecnologia que gasta menos energia, reduz emissões e recupera mais materiais

REDAÇÃO AB

A multinacional brasileira de metalurgia Tupy e a Universidade de São Paulo (USP) se uniram para tentar resolver um dos maiores problemas dos automóveis elétricos no futuro: a reciclagem de baterias. A parceria firmada entre as duas partes vai investir inicialmente R$ 4 milhões para desenvolver uma tecnologia para baterias de lítio.

O objetivo do projeto é encontrar uma alternativa viável ao processo atual de reciclagem de baterias, que é feito por pirometalurgia, no qual a matéria-prima é incinerada, que traz três desvantagens: grande consumo de energia, alto nível de emissões e perda nos materiais recuperados, principalmente do lítio.

“A pesquisa será concentrada na técnica de hidrometalurgia, um processo em que a matéria-prima é dissolvida em soluções ácidas e, então, extrai-se a substância desejada. Esse método consome menos energia, gera menos emissões de carbono e possibilita uma maior recuperação de materiais”, explica Élio Kumoto, gerente da Tupy Tech.

Previsto para durar dois anos, o projeto vai reunir pelo menos 15 pesquisadores (podendo chegar a 20), entre professores, doutores, mestrandos e técnicos. Além da Tupy e da Escola Politécnica da USP, fazem parte do programa a Fundação USP e o Embrapii (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial). Os trabalhos serão realizados no Laboratório de Reciclagem, Tratamento de Resíduos e Extração da Escola Politécnica (Larex) e coordenados pelos professores Denise Espinosa e Jorge Tenório, ambos com mais de 20 anos de pesquisa em reciclagem de baterias.

“Um desafio importante para a viabilidade dos veículos elétricos é o ciclo de vida de produto, principalmente, quando falamos das baterias, que contêm uma variedade de matérias-primas metálicas, de terras raras e não renováveis. Para isso, é necessário investir em reciclagem, o que diminuirá a necessidade de extração e o impacto ambiental”, diz Jorge Tenório, coordenador do Larex e da Unidade Embrapii Tecno Green, sediada na USP.



Tags: Tupy, USP, metalurgia, baterias, lítio, elétricos, Élio Kumoto, pesquisa, tecnologia.

Comentários

  • Marcorelioda Paixão

    Muitobom esta parceria em prol da responsabilidade. Trabalhei por 20 anos na teksid. Como gestor ambiental e ficava Muito feliz quando conseguia destinaçao correta para cada Residuo gerado.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now