Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias
CEO da GM, Mary Barra ganhou US$ 23,7 milhões em 2020
Mary Barra, CEO da General Motors: ganhou mais que os CEOs da Ford e da FCA

Carreira | 30/04/2021 | 18h29

CEO da GM, Mary Barra ganhou US$ 23,7 milhões em 2020

Liderança mais bem paga entre as três grandes marcas de Detroit, ela recebeu o dobro dos concorrentes

REDAÇÃO AB

Que tal ganhar como salário e bonificações por um ano de trabalho o total de US$ 23,7 milhões? Pois foi a quantia que foi paga à CEO da General Motors, Mary Barra. Assim, ela foi a liderança mais bem paga entre as três grandes montadoras americanas em 2020.

Esse valor foi 9,4% acima do que ela havia recebido no ano anterior e seria suficiente para comprar nos Estados Unidos cerca de 300 SUVs Cadillac Escalade ESV (US$ 79.195 na versão de entrada), o modelo mais caro vendido pela GM no mercado americano. A quantia foi o dobro do que receberam os CEOs das outras marcas de Detroit.

No seu último ano no comando da FCA (Fiat Chrysler Automobiles) antes de se fundir à Stellantis, Mike Manley ganhou US$ 14,2 milhões em 2020. Jim Farley, que assumiu como CEO da Ford em outubro, somou vencimentos de US$ 11,8 milhões, menos que o seu antecessor, Jim Hackett, que havia recebido US$ 16,7 milhões.

Uma das razões dos ganhos de Mary Barra serem tão maiores deve-se ao fato de ser a única que é CEO e presidente do conselho da mesma empresa. De acordo com a declaração anual divulgada pela GM, os vencimento de Barra incluem um salário-base de cerca de US$ 2 milhões (representa uma queda 5% sobre 2019), incentivos de curto prazo de US$ 3,8 milhões (contra US$ 2,7 milhões do ano anterior) e prêmios por ações de US$ 13,1 milhões (antes foi de US$ 12,1 milhões).

Além de ser a mais bem paga, Mary Barra tem outras conquistas na sua carreira na indústria automotiva, como a primeira CEO feminina de uma montadora global (ela ocupa o cargo desde 2014), a mulher mais poderosa no mundo dos negócios em 2017, segundo a revista Fortune, e uma das "100 Pessoas Mais Influentes do Mundo" em 2014, na lista da revista Time. Ela começou a trabalhar na GM em 1980, aos 18 anos, como estagiária.

Devido à pandemia do Covid-19, a GM resolveu fazer um corte de 10% nos salários dos cargos da liderança sênior, que depois foi substituído por ações. O pagamento do conselho de administração da GM foi cortado em 20%, sem compensações posteriores. O lucro da GM em 2020 antes de juros e impostos aumentou em 15%, totalizando US$ 9,7 bilhões. O fluxo de caixa livre ajustado para o setor automotivo mais do que dobrou, subindo para US$ 2,6 bilhões.



Tags: Mary Barra, GM, General Motors, salários, Mike Manley, FCA, Jim Hackett, Ford, Detroit.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now