Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias
Stellantis redefine comando de Peugeot e Citroën na América do Sul
Felipe Daemon fica com o comando da Peugeot e Vanessa Castanho com a Citroën no novo organograma da Stellantis na América do Sul

Carreira | 12/05/2021 | 19h00

Stellantis redefine comando de Peugeot e Citroën na América do Sul

Marcas francesas do grupo serão dirigidas por Felipe Daemon e Vanessa Castanho, que vão substituir Ana Theresa Borsari

PEDRO KUTNEY, AB

Peugeot e Citroën, marcas francesas do Grupo PSA que desde janeiro passado integram o portfólio do Grupo Stellantis (fusão entre PSA e FCA), têm novas lideranças na América do Sul. Desde o mês passado, Vanessa Castanho foi escalada para dirigir a Citroën na região e Felipe Daemon fica à frente da Peugeot. Os dois substituem parte das funções que eram de Ana Theresa Borsari, diretora geral de ambas as marcas no Brasil desde 2018, que deverá ser transferida para a Europa, onde vai ocupar nova função global no grupo, em mudança a ser confirmada em breve.

Os cargos ainda não foram oficialmente informados pela empresa, mas em suas respectivas páginas no LinkedIn, Felipe Daemon se identifica como head (diretor) da marca Peugeot na Stellantis América do Sul, enquanto Vanessa Castanho indica que é vice-presidente da marca Citroën na região.

Vanessa Castanho já era diretora da marca Citroën na América Latina no Grupo PSA, onde começou há exatamente um ano, em maio de 2020. Antes, de 1996 a 2018, trabalhou em outra empresa francesa, a Renault, passando por vários postos de gerência nas áreas comercial e institucional. A executiva é graduada pela Unip em administração de empresas com ênfase em comércio exterior e fez pós-graduação MBA em gestão empresarial na FGV.

Felipe Daemon vem do lado “italiano” da Steellantis, estava desde 2015 na FCA, onde ocupou cargos de gerência na área de marketing. Desde 2019 e até março passado era gerente de marketing de produto para picapes e veículos comerciais leves do grupo. Antes, passou pela Nissan e Banco Votorantim. Daemon é economista graduado pelo Ibmec e cursou MBA na FGV.

Conforme indicou na semana passada Antonio Filosa, presidente da Stellantis América do Sul, nos próximos dois anos os dois novos chefes de Peugeot e Citroën têm a missão de recolocar as duas marcas na mesma posição que tinham há 10 anos no mercado brasileiro, quando sustentavam participação combinada nas vendas em torno de 5%, contra menos de 2% atualmente.

As outras duas marcas em atividade da Stellantis na América do Sul, Fiat e Jeep, continuam sob a direção de Herlander Zola e Alexandre Aquino, respectivamente. Não se sabe ainda se haverá mudanças nas funções de ambos. No caso da Fiat, Zola se ocupa do marketing da marca e acumula a gestão de operações comerciais, enquanto na Jeep essas atribuições são divididas, Aquino lidera o marketing e Everton Kurdejak é diretor comercial de todas as marcas americanas do antigo Grupo Chrysler, incluindo Jeep, Ram e Dodge.

Segundo informações, é esperado que a Stellantis divulgue ainda esta semana a nova estrutura de direção da empresa na América do Sul.



Tags: Stellantis, carreira, organograma, Peugeot, Felipe Daemon, Citroën, Vanessa Castanho, PSA, Ana Theresa Borsari, FCA.

Comentários

  • EsperditeJosé Raquel

    Sãoduas marcas que eu gostaria de usar principalmente a Peugeot, mas custo manutenção e muito acima de outros carros do mesmo nível.

  • Fabio

    Acompanhoquase tudo da Peugeot porque tenho carinho especial pela marca e portanto mantenho a fidelidade, já estando no quinto veículo. Uma das características que tinham e perderam no presente foi um produto competitivo para o mercado da AL, especificamente relacionado às opções de trem de propulsão, o design vai relativamente bem, o mkt continua aquém de suas possibilidades, tudo fácil de resolver mas pode vir custar bastante

  • Meunome é Max David

    Eutenho um Peugeot 206 importado ano 2001 dos primeiros tudo funcionando perfeitamente não tenho nada a falar mal trabalhei um tempo com essa marca sei que o carro é bom fácil de mexer mas acredito que vai melhorar ainda mais facilitando mas as peças e produtos acredito que essa nova Peugeot está totalmente diferente e é aquilo né o povo brasileiro é aquela galera preconceituosa eu acho que tem inveja dos franceses

  • FabrícioRibeiro

    Tenhoum Peugeot 408 gosto muito.... Só que a revenda dos carros dessas marcas Peugeot e Citroen nem mesmo as próprias concessionária valorizam..... Isso eu acho um absurdo..... A um tempo atrás fui fazer uma cotação para trocar pelo Peugeot 2008 e a própria concessionária desvalorizou o carro, isso porque eu faço todas as revisões na própria concessionária...... Lamentável ???????????

  • Carlos

    Quersaber se um carro é bom? Tente trocá-lo por um novo nas concessionárias da marca, se avaliarem abaixo de mercado é sinal de que nem eles acreditam no produto, simples assim.

  • JoãoCampos Reis

    Soudo mercado imobiliário, mas com sangue de carro e caminhões na veia. Tenho carro das 2 marcas, na família também. Acho que só falam mal do produto, quem não conhece e nunca teve. Acho o THP e caixa Aisin de longe o.melhor trem de força do mercado. O 408 griffe é um show.

  • SidneyVerdandi

    Infelizmenteo consumidor é induzido pela "mídia" automotiva corrupta, que recebe inúmeros privilégios de marcas como a VW, que investe milhões mensalmente para que o consumidor "acredite" que seus veículos são perfeitos. Torço pela Peugeot e Citroen com os novos propulsores GSE T3 e T4, que são infinitamente superiores aos motores TSI. A médio prazo veremos as bombas de efeito retardado, que são os motores TSI, levarem a VW ao total descrédito. Esta é uma das razões pelas quais a VW correr desesperadamente para a tecnologia de veículos elétricos, mas até 2030 estará com um participação mínima em nosso mercado. Será a virada de mesa do grupo Stellantis, que já começou!

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now