Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias
Renault da Argentina quer exportar picape Alaskan para o Brasil
Alaskan na linha de montagem argentina: a Renault local quer enviar a Alaskan para o Brasil

Mercado | 18/05/2021 | 16h58

Renault da Argentina quer exportar picape Alaskan para o Brasil

Filial brasileira havia desistido de vender a picape média por aqui, mas CEO argentino diz que a situação pode mudar. Produção de Oroch e Sandero no Brasil poderia ser afetada

REDAÇÃO, PARCERIA COM PRIMEIRA MARCHA

A novela da picape Alaskan ganha mais um capítulo na sua longa novela rumo à comercialização no Brasil. A mais recente novidade é uma entrevista do presidente da Renault da Argentina, Pablo Sibilla, na qual ele anuncia que a empresa pretende exportar a Alaskan, produzida na fábrica de Córdoba, para vários mercados sul-americanos, entre eles o Brasil, como informa a seguir a reportagem do site Primeira Marcha.

“Estamos trabalhando no aumento das exportações, conversando com parceiros do Brasil, Chile e Colômbia para ver o modelo de negócios para que a picape argentina seja rentável para eles”, disse Sibilla durante uma entrevista à agência de notícias argentina Télam.

A afirmação pode representar uma nova mudança no rumo da picape, cheia de reviravoltas. Lançada em 2016, ela foi inicialmente confirmada para o Brasil – a previsão de chegada era para 2018. Ela até chegou a dar as caras no Salão do Automóvel de 2018. Porém, pouco tempo depois, a Renault desistiu de vender a Alaskan no Brasil. Posição que está mantida – pelo menos até a declaração do executivo argentino.


A picape Alaskan saindo da fábrica da Renault em Córdoba, na Argentina

Nunca é demais lembrar que a Alaskan nada mais é do que uma Nissan Frontier com desenho criado pelos franceses. A própria fábrica de Córdoba é compartilhada com a Nissan.

Assim, se a vida da Frontier em nosso mercado já não é lá muito fácil, imagine dividir as atenções com a “irmã” Renault. Além disso, a pouca tradição da Renault em vender picapes pode ser um outro obstáculo para a Alaskan.

Mesmo com as dificuldades, os argentinos parecem confiantes. Na mesma entrevista para a Télam, Sibilla disse que a Renault espera implantar o segundo turno na fábrica de Córdoba até o final do ano, contratando mais 500 funcionários para dar conta do aumento na produção.


Lançada mundialmente em 2016, a picape foi mostrada no Salão do Automóvel de 2018

O executivo também afirmou que, nos próximos anos, a operação na Argentina será dedicada aos veículos comerciais. Assim, a partir de 2024, Logan e Sandero devem deixar de ser produzidos em Córdoba.

“Procuramos substituir a gama atual por alguma outra plataforma que esteja em linha com esta estratégia de veículos utilitários e assim especializaríamos a nossa fábrica, enquanto a outras fábricas na América Latina fariam o mesmo com veículos de passageiros”, afirmou.

A afirmação pode ser um indicativo de que a fabricação da picape Oroch, atualmente em São José dos Pinhais (PR), pode migrar para o país vizinho, enquanto os novos Logan e Sandero (ou quaisquer que sejam seus nomes) viriam de forma integral para o Brasil.



Tags: Renault, Alaskan, picapes, Pablo Sibilla, fábrica, produção, exportação.

Comentários

  • SérgioVilmar Farias Raupp

    Hojeeu tenho uma Duster iconic, essa caminhoneta e meu sonho de consumo

  • Silvio

    Porquequando lançam aqui só nos entregam porcaria ,porque nunca um veículo assim que pode levantar a marca por aqui?

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now