Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias
Siderúrgicas mudam regra de contratos para repassar aumento às montadoras

Insumos | 19/05/2021 | 16h45

Siderúrgicas mudam regra de contratos para repassar aumento às montadoras

Fornecedores nacionais reduzem prazo de validade para poder reajustar preço do aço com maior frequência

REDAÇÃO AB

Um dos fornecedores mais importantes da cadeia automotiva, as siderúrgicas a partir de agora vão renovar seus contratos com as montadoras por períodos trimestrais ou semestrais, e não mais anuais, como era o padrão no setor, como informa a agência Estadão/Broadcast.

Com essa medida, os fabricantes de automóveis terão pela frente um horizonte de aumento do custo da matéria-prima de maior frequência, já que no formato anterior o preço do aço ficava congelado por longos períodos de tempo.

A notícia é preocupante para essa indústria, porque o preço do produto mais do que dobrou no último ano, no caso da bobina de aço laminado a quente. Segundo a agência S&P Global Platts, que acompanha a variação do custo de insumos siderúrgicos, o material nessa especificação sofreu um aumento de 130% nos últimos 12 meses no mercado à vista. Apenas neste ano, a alta foi de 46%. De acordo com a reportagem, a direção da Usiminas informou em reunião recente com analistas que vê espaço para mais aumentos nos próximos meses.

A reportagem informa ainda que a importação da matéria-prima pela indústria automotiva ainda não chegou a ser considerada como alternativa pelas dificuldades envolvidas na operação, como volatilidade dos preços do mercado à vista e do frete, exposição à variação do câmbio e principalmente pelo risco de atrasos das entregas devido ao desarranjo logístico global provocado pela pandemia.

Não bastassem esses fatores se somarem ao custo final do aço brasileiro, que hoje é maior do que o importado, ainda assim ele tem sido a opção das montadoras, até porque elas reconhecem que não tem sido fácil encontrar nos mercados internacionais esse tipo de insumo compatível com a necessidade dos fabricantes, o que tem reforçado a preferência das montadoras e dos grandes fornecedores de autopeças pelo produto local.



Tags: aço, insumos, fornecedores, Usiminas, pandemia, logística, frete, indústria.

Comentários

  • Wilson

    Achoque não poderiam aumentar tanto assim porque minério além de ser nosso e eles pagarem muito pouco ganham muito em cima .nessa pandemia deveriam congelar os preços.ate que tudo isso passar . salário em média sobe por ano máximo 10% e aço sobe 136% ano passado, esse ano falaram em 40% já está em 52% e ainda querem mais.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now