Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias
Eletra e Protege desenvolvem o primeiro carro-forte elétrico do mundo
O projeto do novo carro-forte foi desenvolvido totalmente no Brasil

Elétricos | 21/05/2021 | 16h21

Eletra e Protege desenvolvem o primeiro carro-forte elétrico do mundo

Com 75 km de autonomia, modelo é mais potente, pesa menos que a versão a diesel e tem custo de operação 65% menor

REDAÇÃO, PARCERIA COM PRIMEIRA MARCHA

Depois dos automóveis, caminhões, ônibus e até motos, a mobilidade elétrica está desbravando uma nova fronteira. A empresa de conversão de veículos Eletra e a transportadora de valores Protege criaram o que dizem ser o primeiro carro-forte elétrico do mundo, como mostra reportagem a seguir do site Primeira Marcha.

O modelo acaba de ser entregue e deve começar a rodar em São Paulo muito em breve. A autonomia de 75 km parece pequena, mas é suficiente para o uso diário do veículo. Um carregador da Eletra foi instalado em uma garagem da Protege e será o responsável pelas recargas – que levam 2h30min.

O desenvolvimento do carro-forte elétrico teve como base um chassi de caminhão Volkswagen VW 8.160. Todo o processo levou 18 meses para ser concluído e custou R$ 1 milhão. Em vez de criar um veículo totalmente novo, a Eletra usou um processo chamado retrofit, que consiste em converter um veículo usado a diesel em um elétrico.


Veículo tem sistema de frenagem regenerativo: recarrega a bateria e poupa os freios

Nesse processo, o chassi e parte da carroceria são aproveitados, enquanto os componentes como motor, transmissão e tanque de combustível vão para reciclagem.

“O fato de você pegar um caminhão muitas vezes no fim do ciclo e transformar em elétrico traz um ganho muito grande. Primeiro porque você não desova caminhões velhos no mercado. Depois, quando faz o retrofit, elimina a emissão na sua operação”, disse Iêda Nogueira, diretora da Eletra.

Mesmo com 957 kg em baterias, a Eletra afirma que o carro-forte elétrico é quase 1 tonelada mais leve do que um similar a diesel. O peso total não foi divulgado. A explicação está na carroceria, criada especialmente para o modelo elétrico pela Mib Blindados. “Como não existe um motor convencional na dianteira, o desenho é diferente, com a parte frontal removida”, explica a executiva da Eletra.

O motor elétrico de até 449 cv e 1.800 kgfm de torque fornecido pela brasileira Weg é instalado em uma posição mais baixa do que o antigo diesel que equipava o veículo. Ele é ligado diretamente ao eixo cardã. Um chassi VW 8.160 em geral traz um motor diesel de 162 cv e 61 kgfm.

A Eletra ainda instalou um sistema de regeneração da energia para as frenagens. “Acrescentamos um sensor no pedal. A primeira fase do freio é elétrica. Só depois que o sistema convencional é utilizado”, dia Iêda.

Assim, as baterias podem ter parte da carga recuperada durante a operação. A Protege afirma que o custo de operação do carro-forte elétrico é 65% mais baixo do que dos similares a diesel. Porém, não informou qual é o custo por km rodado.

SEM RUÍDOS, VIBRAÇÃO OU EMISSÕES



Outra vantagem na operação é a ausência de ruídos, além das emissões neutras. “Em entregas específicas, onde é preciso desligar o veículo por conta do ruído e das emissões, isso não precisa mais ser feito”, destaca a executiva da Eletra.

Essa é a primeira unidade do tipo na frota de 800 veículos da empresa. A Protege afirmou que vai analisar os resultados deste programa piloto antes de decidir se adquire mais exemplares elétricos.

Já a Eletra parece otimista com a aceitação da tecnologia. “Temos duas possibilidades para esse tipo de veículo. Uma delas é essa, de entrega de valores, mas também na área da segurança pública.”

A empresa afirma não ter aberto outras negociações, mas acredita que, assim que o veículo começar a rodar com a Protege, deve atrair o interesse de outras companhias.



Tags: Eletra, Protege, carro-forte, mobilidade, retrofit, logística, elétricos.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now