Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias
Volkswagen paralisa 3 fábricas por falta de semicondutores
A fábrica de Anchieta, em São Bernardo do Campo (SP), vai parar a partir do dia 21 de junho

Insumos | 11/06/2021 | 15h44

Volkswagen paralisa 3 fábricas por falta de semicondutores

Produção será suspensa por 10 dias nas unidades de São Bernardo do Campo, São Carlos (SP) e São José dos Pinhais (PR)

REDAÇÃO AB

A Volkswagen anunciou nesta sexta-feira, 11, que vai paralisar a produção em três das suas quatro fábricas no Brasil por falta de componentes semicondutores utilizados na montagem de seus automóveis. A montadora decidiu interromper por 10 dias as atividades nas unidades de São Bernardo do Campo e São Carlos (SP) e de São José dos Pinhais (PR), a partir de 21 de junho.

Essa é a segunda parada de produção da Volkswagen em menos de 15 dias. No último dia 31 de maio, a montadora comunicou que interromperia as atividades também por 10 dias, dessa vez nas fábricas de São José dos Pinhais e de Taubaté (SP).

Publicidade



Em um longo comunicado oficial (leia abaixo), a empresa explica as razões que levaram à nova parada, que atinge as linhas de produção dos modelos Nivus, Polo, Virtus e Saveiro (São Bernardo) e Fox e T-Cross (São José dos Pinhais), além da fabricação de motores (São Carlos).

Com isso, os únicos modelos que não serão atingidos pela paralisação serão o Gol e o Voyage, que são montados na planta de Taubaté, que está retornando agora da parada decretada em maio.

O comunicado da VW alerta ainda para o risco de mais paradas nos próximos meses, se a escassez de componentes eletrônicos persistir. "Novas paralisações não estão descartadas futuramente caso o cenário global de fornecimento de semicondutores permaneça crítico, impactando diretamente as atividades de produção da empresa no Brasil", diz o informe da montadora.

CRISE AFETA OUTRAS MONTADORAS



A Volkswagen é apenas uma entre várias montadoras que estão sendo severamente afetadas pela crise dos semicondutores. Entre as maiores paralisações, estão a Honda, que precisou interromper a produção do Civic em Sumaré (SP) por duas vezes, e a GM, que já fechou duas plantas diferentes por falta de peças. A unidade de São Caetano do Sul vai ficar parada por seis semanas, em parte também para adequar a linha de montagem à chegada da nova picape baseada na plataforma do Onix. Já a fábrica de Gravataí (RS) está numa situação mais grave, pois está paralisada desde março, sendo ela responsável pela montagem do Onix.

A Anfavea já havia alertado na última terça-feira, dia 8, para o risco de mais fábricas pararem de produzir nos próximos meses por falta de semicondutores. Luiz Carlos Moraes, presidente da entidade que reúne as montadoras, chamou a atenção para o problema, que não só tende a se agravar como não tem solução a curto prazo. Foi a primeira vez que o executivo reconheceu, em público, que a escassez do componente deve seguir afetando a produção no Brasil, se estendendo, inclusive, pelo próximo ano. “É difícil prever quando a situação vai se normalizar, mas a gente tem esperança de que isso seja resolvido no primeiro semestre de 2022, mas não dá para cravar”, disse.

Leia a seguir o comunicado completo divulgado pela Volkswagen.

“Uma escassez significativa de capacidades de semicondutores está levando a vários gargalos de fornecimento em muitas indústrias globalmente (telecomunicação, computação, eletroeletrônicos e smartphones). Isso também gerou problemas no abastecimento da indústria automotiva ao redor do mundo desde a virada do ano. O resultado são adaptações em toda a indústria na produção de automóveis, o que também afeta as marcas do Grupo Volkswagen.

“Nos últimos meses, o time da Volkswagen do Brasil tem trabalhado intensamente, em parceria com a matriz e fornecedores, para minimizar os efeitos da escassez de semicondutores para a produção em suas fábricas no Brasil. Entretanto, o cenário atual não demonstra o encaminhamento para uma solução definitiva visando a normalização do fornecimento de chips. Ao contrário, há sérios riscos de agravamento dessa situação nas próximas semanas.

“Com base nisso, a Volkswagen do Brasil comunica a paralisação das operações de suas áreas produtivas nas fábricas de São Bernardo do Campo e São Carlos, no Estado de São Paulo, e de São José dos Pinhais, no Estado do Paraná, a partir de 21 de junho, pelo período de 10 dias.

“Novas paralisações não estão descartadas futuramente caso o cenário global de fornecimento de semicondutores permaneça crítico, impactando diretamente as atividades de produção da empresa no Brasil.”



Tags: VW, Volkswagen, semicondutores, insumos, pandemia, Taubaté, São José dos Pinhais, São Bernardo do Campo, São Carlos..

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV