Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias
VWCO lança o e-Delivery em SP e RJ com 58 empresas interessadas
Roberto Cortes apresenta ao mundo o VW e-Delivery, primeiro caminhão elétrico projetado e produzido no Brasil

Lançamentos | 13/07/2021 | 17h45

VWCO lança o e-Delivery em SP e RJ com 58 empresas interessadas

Já foram vendidas 100 unidades do caminhão elétrico à Ambev, Coca-Cola Femsa comprou 20 e JBS vai iniciar testes

PEDRO KUTNEY, AB

Quatro anos após apresentar o protótipo do primeiro caminhão elétrico projetado e desenvolvido no Brasil, a Volkswagen Caminhões e Ônibus (VWCO) fez esta semana o lançamento comercial do e-Delivery, que envolveu investimentos de R$ 150 milhões no desenvolvimento do veículo e preparação da fábrica de Resende para a produção. Inicialmente, o modelo será vendido nas concessionárias da marca nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro em duas configurações, de 11 e 14 toneladas de peso bruto total (PBT). Segundo a fabricante, já existem pedidos confirmados de 120 unidades, mas 58 empresas já demonstraram interesse.

Publicidade



O caminhão elétrico coleciona uma série de “primeiras vezes”. O e-Delivery começou a ser montado há um mês na fábrica de Resende (RJ), primeira do País a produzir um veículo 100% elétrico. E a primeira unidade foi entregue no fim de junho ao primeiro cliente, a fabricante e distribuidora de bebidas Ambev, que comprou os primeiros 100 veículos – de uma intenção de compra de 1,6 mil unidades para eletrificar 35% de sua frota até 2023, que na época, em 2018, foi o maior negócio de aquisição de veículos elétricos em uma só encomenda já anunciado no mundo. Foi também a Ambev que testou e aprovou na prática os primeiros e-Delivery, rodando mais de 40 mil quilômetros em operações de entregas de bebidas na cidade de São Paulo.

Ao realizar o lançamento comercial, a VWCO já anunciou mais dois clientes do e-Delivery, ambos do setor alimentício: a também fabricante e distribuidora de bebidas Coca-Cola Femsa, que encomendou 20 unidades, e o frigorífico JBS, que vai iniciar testes com um caminhão elétrico.

“Os clientes já estão respondendo à essa iniciativa pioneira no Brasil, assim como foi há 40 anos quando foram projetados e lançados aqui os primeiros caminhões Volkswagen do mundo. O e-Delivery é o primeiro passo do nosso projeto de eletrificação, que prevê o lançamento de outros modelos elétricos e vai consumir a maior parte dos investimentos de R$ 2 bilhões programados de 2021 a 2025”, afirma Roberto Cortes, CEO da VWCO.



O executivo acrescenta que a eletrificação do powertrain de veículos comerciais está em linha com a tendência global e com as metas do Grupo Traton, dono das fabricantes de caminhões e ônibus VWCO, MAN e Scania, que tem o objetivo de reduzir em 30% as emissões de CO2 de seus veículos até 2030 e de neutralizar todas as emissões até 2050.

Cortes diz que as vendas do e-Delivery vão começar nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro para serem ampliadas gradativamente a outras regiões do País, conforme crescer o interesse e a infraestrutura necessária para veículos elétricos. Também está nos planos exportar para países onde a VWCO já está presente e novos mercados que podem ser abertos com a expansão da eletrificação no mundo, inclusive a Europa. “Não descartamos nenhuma oportunidade, mas vamos ao poucos”, diz.



CUSTO MENOR COMPENSA PREÇO MAIOR



A VWCO não divulgou os preços sugeridos do e-Delivery, que podem variar bastante em função das diversas configurações possíveis de entre-eixos e pacotes de baterias das duas versões. Cortes admite que o valor “é de 2,5 a 3 vezes maior do que o modelo similar a diesel”, o que indica cifras acima dos R$ 500 mil. “Como qualquer nova tecnologia, o preço é maior, mas a produtividade também é maior e é preciso considerar que o custo de operação é muito mais baixo, pois a energia elétrica custa menos que o diesel e a manutenção do elétrico também fica mais barata com menos peças para trocar”, pontua.

Segundo Ricardo Alouche, vice-presidente de vendas e marketing, “em cinco anos o cliente compensa o custo maior de aquisição com o TCO (total cost of ownership) muito mais baixo na comparação com um caminhão diesel”, afirma. “Além disso, o veículo elétrico também agrega valor à imagem da empresa que o utiliza, por isso já temos 58 empresas interessadas que estavam esperando pelo lançamento”, acrescenta.

Entre as economias de manutenção trazidas pela eletrificação, está o próprio motor elétrico, que tem muito menos desgaste em comparação com um propulsor a combustão porque tem poucas partes móveis. O sistema de regeneração de frenagem, que recarrega as baterias, funciona como freio-motor e aumenta em dez vezes a durabilidade de componentes como lonas, pastilhas e discos. Contudo, os módulos de baterias custam quase um caminhão a diesel.

SOLUÇÃO AMBIENTAL COM CONSULTORIA



“O e-Delivery é um legado da VWCO para o mercado. Estamos nos antecipando em oferecer uma solução para a necessidade de muitos clientes, que já pensam na eletrificação de suas frotas para atender suas próprias metas ambientais e políticas de sustentabilidade, bem como atender a legislação cada vez mais restritiva de emissões e poluição sonora, especialmente para circulação nos grandes centros urbanos”, explica Ricardo Alouche. “Não fornecemos só o caminhão elétrico, mas toda a consultoria que o cliente precisa para uma frota de elétricos e tirar o melhor proveito disso”, acrescenta o executivo.


e-Delivery 11 4x2 e 14 6x2, ambos com motor elétrico de 408 cv e autonomia de até 250 km

Segundo Alouche, as duas primeiras versões o e-Delivery foram lançadas justamente pensando nas operações de entregas urbanas, com dois caminhões médios classificados como VUCs (veículo urbano de carga), com entre-eixo de 3,3 metros, o que permite a livre circulação em qualquer zona urbana.

Com capacidade para carregar até 6.320 kg ou 9.055 kg, respectivamente, os e-Delivery 11 6x2 e 14 6x2 saem de fábrica com suspensão pneumática ajustável e compartilham o mesmo powertrain: motor elétrico especialmente desenvolvido pela Weg para o caminhão com potência de 300 kW (408 cv) e troque máximo de 2.150 Nm disponível desde a mínima rotação. Não há transmissão, o propulsor é conectado diretamente no eixo trativo ECO (electric compatible) projetado pela Meritor para o e-Delivery. O sistema de frenagem regenerativa fornece até 40% da recarga das baterias.

A propulsão é alimentada por baterias de íons de lítio da chinesa CATL, com módulos de 650 V montados no Brasil pela Moura, integrante do e-Consórcio que também executa a montagem elétrica do caminhão em Resende e será responsável pela manutenção e reciclagem dos acumuladores. São oferecidos dois pacotes aos clientes, com três ou seis módulos, que garantem autonomia de 100 km ou 250 km com carga máxima.

O carregamento pode ser feito em recarregadores de 25 kW a 250 kW, que podem ser fornecidos pela Siemens ou ABB, também integrantes do e-Consórcio da VWCO, que também fornecem consultoria técnica para dimensionar a rede elétrica e carregadores necessários para abastecer a frota de veículos elétricos. O tempo de recarregamento varia de acordo com a potência das baterias e do recarregador, mas na melhor condição 80% da carga por ser abastecida em 45 minutos. Se quiser, o cliente pode contratar de outro membro do e-Consórcio, a GD Solar, a instalação de placas fotovoltaicas para abastecimento próprio de energia solar para seus veículos elétricos – como já faz a Ambev.

SERVIÇOS EXCLUSIVOS




e-Delivery e sua maior vocação: entregas urbanas

Alouche afirma que a rede já está preparada para atender as necessidades de manutenção do e-Delivery, com estoque de peças de reposição já alocado no centro de distribuição de Vinhedo (SP). Também foi montado um pacote exclusivo de serviços on-line para o novo caminhão elétrico, que pode sair de fábrica com o módulo de conectividade Rio (do Grupo Traton), ativado com o e-Fleet para monitorar remotamente em tempo real o desempenho do veículo, incluindo um medidor que informa quanto CO2 deixa de ser emitido.

Por meio da leitura do QR Code impresso na carroceria, o motorista acessa o VW Field Service e é atendido por técnicos munidos de óculos de realidade virtual que “enxergam” todas as partes para ajudar no diagnóstico de possíveis problemas. O e-Delivery tem manual virtual cognitivo integrado em um aplicativo instalado no smartphone, que responde a qualquer dúvida do motorista.

O e-Delivery conta com planos de manutenção específicos e tem garantia de até dois anos para o powertrain e de até cinco anos para as baterias. As primeiras 100 unidades serão vendidas com o módulo Rio ativado com e-Fleet por cinco anos sem custos, além de garantia de cinco anos para as baterias.



- Leia também o Especial VWCO 40 Anos





Tags: e-Delivery, lançamento, VWCO, Volkswagen Caminhões e Ônibus, elétrico, caminhão.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now