Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias

Insumos | 18/10/2010 | 12h19

Vale produz 82,6 mi de toneladas de minério

Performance do trimestre é a melhor desde 2008.

Beth Moreita, Agência Estado

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Beth Moreita, Agência Estado

A Vale informou hoje que a produção de minério de ferro totalizou 82,6 milhões de toneladas no terceiro trimestre deste ano, o que representa a melhor performance desde o recorde de 85,8 milhões de toneladas registrado no terceiro trimestre de 2008. O número representa ainda um aumento de 8,9% em relação ao volume produzido no segundo trimestre de 2010 e de 23,7% ante igual período de 2009.

A mineradora destaca, em relatório enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que o aumento na produção se deve ao extraordinário desempenho de Carajás, responsável por 70% da expansão verificada. No acumulado dos primeiros nove meses do ano, a produção total de minério de ferro somou 227,5 milhões de toneladas, com crescimento de 30,4% em relação ao mesmo período do ano passado.

O sistema Sudeste, que abrange as unidades de Itabira, Mariana, Minas Centrais, Corumbá e Urucum, produziu 32,6 milhões de toneladas, 5,1% acima do segundo trimestre e 27,8% mais que no mesmo intervalo do ano passado. O sistema Sul, que inclui as minas Itabiritos, Vargem Grande e Paraopeba, produziu 20,3 milhões de toneladas entre julho e setembro de 2010, com crescimento de 2,3% em relação ao trimestre anterior e 29,2% ante o mesmo período do ano passado.

A empresa destaca no relatório que a produção de Itabiritos foi de 8,3 milhões de toneladas, o equivalente a um aumento de 5,6% ante o trimestre anterior. O resultado representa um novo recorde e foi influenciado por uma unidade de processamento adicional que começou a operar em junho. Na comparação com o mesmo período do ano passado, a expansão foi de 53,2%.

Em Carajás, a produção de minério de ferro atingiu o recorde histórico de 27 milhões de toneladas, com expansão de 21,1% em relação ao segundo trimestre e de 17,7 ante igual período do ano passado. "O fim dos problemas operacionais no terminal marítimo de Ponta da Madeira foi o principal fator para o forte crescimento da produção", informou a mineradora. Adicionalmente, a melhora da performance da Estrada de Ferro Carajás e o fim do período chuvoso na Região Amazônica contribuíram para bom desempenho.

Pelotas

De julho a setembro, a produção de pelotas atingiu o recorde trimestral de 13,6 milhões de toneladas, o que indica um aumento de 7,8% e 71,1% ante o segundo trimestre deste ano e o terceiro trimestre de 2009, respectivamente. Segundo a companhia, a produção de Tubarão reflete a melhora do desempenho operacional, após os ajustes associados às paradas em 2008 e 2009.

"Cinco das sete plantas de pelotização tiveram aumento na produção", ressaltou o relatório, destacando que Itabrasco alcançou nível recorde no terceiro trimestre, de 1 milhão de toneladas. "Devido à paralisação de três dias para manutenção, Tubarão I e II registraram pequena redução de produção para 1,4 milhão de toneladas, contra 1,5 milhão de toneladas produzidas no segundo trimestre."

A produção de São Luis se expandiu em 15,1% em relação ao trimestre anterior, devido à ampliação da oferta de minério de ferro de Carajás para 1,6 milhão de toneladas. Vargem Grande iniciou suas operações no fim de março de 2009 e possui capacidade nominal de 7 milhões de toneladas. No acumulado dos primeiros nove meses deste ano, acumula produção de 4,1 milhões de toneladas.

A Vale informa ainda que as três unidades de pelotização da joint venture (associação) Samarco, em que a Vale detém 50% do capital, têm capacidade nominal total de 21 milhões de toneladas e estão operando a plena capacidade. "A Samarco registrou recorde e a produção atribuída à Vale foi de 2,897 milhões de toneladas no terceiro trimestre, o que implicou em aumento de 15% sobre o segundo trimestre do ano", informou a companhia. Foram produzidas 9,1 milhões de toneladas de pelotas de alto-forno e 4,5 milhões de toneladas de pelotas de redução direta.

"Atualmente, estamos construindo duas novas plantas, Omã e Tubarão VIII, que adicionarão 16,5 milhões de toneladas à capacidade total da Vale", destacou a empresa. A unidade de pelotização de Omã está prevista para iniciar operações ainda no segundo semestre deste ano, com capacidade de produção de 9 milhões de toneladas de pelotas de redução direta. "Na semana de 11 de outubro, o navio Ore Moatize, pertencente à nossa frota, deixou o Porto de Tubarão com destino ao Oriente Médio com 147 mil toneladas métricas de minério de ferro. Este é o primeiro embarque para alimentar a usina de pelotização de Omã."



Tags: minério, ferro, Vale, produção, aço.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now