Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 03/01/2011 | 11h49

Fiat quer ampliar participação na Chrysler

Marchionne diz que montadora pode elevar fatia para mais de 50%.

Danielle Chaves, Agência Estado

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Danielle Chaves, Agência Estado

O executivo-chefe do grupo Fiat, Sergio Marchionne, afirmou nesta segunda-feira que a participação da companhia na Chrysler pode ser elevada para mais de 50% em 2011, caso a montadora norte-americana volte ao mercado de ações. No entanto, não existem planos de fusão das duas empresas, segundo Marchionne.

"Eu acho que isso é possível. Não sei se é provável, mas é possível que nós aumentemos a fatia para mais de 50% caso a Chrysler decida ir ao mercado em 2011", disse Marchionne, durante evento em Milão para celebrar o primeiro dia da divisão do grupo Fiat. Hoje, as ações da Fiat e as de sua divisão de caminhões e tratores, a Fiat Industrial, começaram a ser negociadas separadamente na Bolsa de Milão.

Marchionne assumiu participação na direção da Chrysler, além do cargo na Fiat, após o socorro do governo dos Estados Unidos à companhia norte-americana. O executivo reiterou declarações anteriores de que uma oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) de ações pode ser realizada no segundo semestre de 2011.

A Fiat se dividiu em duas empresas para permitir que a unidade de carros e a de caminhões busquem estratégias de desenvolvimento separadamente. A Fiat Industrial vai controlar as divisões de caminhões e tratores Iveco e CNH Global, enquanto a Fiat vai englobar a divisão de carros.



Tags: Fiat, Marchionne, Chrysler, IPO, participação, ações.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now