Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias
Ano tem 8 lançamentos mais importantes para fornecedores nacionais

Indústria | 03/05/2021 | 08h00

Ano tem 8 lançamentos mais importantes para fornecedores nacionais

Veja quando começam a ser produzidos e vendidos os carros mais aguardados de 2021 e início de 2022

PEDRO KUTNEY, AB

Apesar do forte impacto da pandemia de coronavírus sobre a indústria automotiva em 2020, os investimentos já programados no desenvolvimento e lançamento de veículos foram mantidos, embora alguns deles tiveram de ser adiados em alguns meses. Para 2021 e início de 2022, chegam ao mercado brasileiro oito veículos dos mais relevantes para a cadeia de suprimentos no País, sete deles produzidos em fábricas no Brasil e um na Argentina, conforme levantamento da consultoria IHS Markit compartilhado com exclusividade para Automotive Business.

A lista dos oito lançamentos previstos são de veículos inéditos no Brasil e envolve cinco fabricantes. Metade deles será lançada por três das quatro marcas do Grupo Stellantis vendidas no Mercosul, sendo dois SUVs da Fiat, um Jeep de sete assentos (que vem sendo chamado de Commander) e o Citroën C3 sobre nova plataforma, todos produzidos em fábricas brasileiras. Os demais são o Toyota Corolla Cross (já lançado), o Volkswagen Taos que começou a ser produzido na Argentina em abril, o novo Hyundai Creta e a versão hatch do Honda City. O levantamento aponta o mês de início de produção e de vendas no Brasil desses carros (veja todos os lançamentos mais abaixo).

Seguindo a tendência que vem se aprofundando no mercado brasileiro, a grande maioria dos lançamentos é de SUVs – ou algo similar –, o segmento que mais cresce e já representa cerca de um quarto das vendas de veículos no País, formando filas de espera instantâneas logo após a primeira apresentação do carro. Dos oito veículos listados, seis têm configuração de utilitário esportivo e um quer se parecer com um SUV – caso do novo hatch C3, que será lançado em configuração com suspensão mais elevada.

OS PRINCIPAIS LANÇAMENTOS DO ANO



Confira abaixo o levantamento da IHS Markit de oito dos mais importantes lançamentos de 2021 e início de 2022 no mercado brasileiro, com informação sobre país de fabricação, mês de início de produção e vendas de cada modelo, bem como tipo de carroceria, plataforma e nome do projeto.

COROLLA CROSS, PRIMEIRO SUV URBANO NACIONAL DA TOYOTA




O Toyota Corolla Cross produzido em Sorocaba já está à venda e segue para 22 países: primeiro dos lançamentos mais importantes do ano

O Corolla Cross é o primeiro dos lançamentos mais importantes do ano e primeiro SUV urbano produzido pela Toyota no Brasil, resultado de investimentos de R$ 1 bilhão na fábrica de Sorocaba (SP). Apesar da pandemia, o lançamento não foi atrasado. O modelo entrou em produção comercial em março e chegou no fim do mesmo mês às concessionárias para brigar no cada vez mais disputado segmento de utilitários esportivos médio-compactos, liderado pelo Jeep Compass e que em breve terá a companhia do Volkswagen Taos.

O carro já era fabricado na Tailândia e em Taiwan, mas a fábrica brasileira será o maior polo mundial de produção do Corolla Cross, que será o veículo mais exportado da história da Toyota no Brasil, de onde o SUV será embarcado para 22 países da América Latina.

O carro é também o segundo modelo híbrido fabricado no Brasil, ao lado da nova geração do sedã Corolla produzido pela Toyota em Indaiatuba (SP) desde setembro de 2019. Ambos os veículos são montados sobre a plataforma GA-C, arquitetura global da Toyota para veículos compactos, por isso compartilham muitos componentes e usam os mesmos powertrains em duas versões, uma só com motor a combustão 2.0 nacional, fabricado em Porto Feliz (SP), e outra híbrida flex, com trem-de-força importado do Japão que combina motores elétricos e bicombustível etanol-gasolina – uma solução desenvolvida pela engenharia brasileira da fabricante.

VOLKSWAGEN TAOS ESTÁ EM PRODUÇÃO




O Taos já começou a ser produzido na Argentina e chega no fim de maio ao mercado brasileiro: maior, mais luxuoso e caro modelo já produzido pela Volkswagen no Mercosul

O SUV médio Taos é o mais importante lançamento da Volkswagen na América Latina este ano, o último do programa de 20 lançamentos da montadora iniciado em 2017, que envolveu investimentos de R$ 7 bilhões no Brasil. O modelo deveria ter estreado no fim de 2020, mas a pandemia atrasou o plano em alguns meses. As vendas no Brasil começam no fim de maio.

Fruto do Projeto Tarek – nome de um SUV da Skoda, uma das marcas do Grupo VW, que serviu de base ao novo veículo –, o Taos começou a ser produzido em abril na fábrica de Pacheco, na Argentina, que recebeu investimentos de US$ 650 milhões para fazer o novo SUV e outros modelos montados sobre a mesma plataforma modular multiuso do grupo, a MQB – já introduzida nas fábricas brasileiras da Volkswagen.

O Taos é o maior, mais tecnológico, luxuoso e caro já produzido pela Volkswagen no Mercosul. Apesar de ser fabricado na Argentina, nasce com índice de localização acima dos 60% e tem muito conteúdo brasileiro, a começar pelo motor turbo 1.4 TSI fabricado em São Carlos (SP).

HYUNDAI RENOVA O CRETA




O novo Creta já mostrou suas feições diferentes na Índia, onde o modelo também é fabricado. Hyundai deve começar a produzir o SUV em Piracicaba (SP) a partir de junho.

Previsto para começar a ser produzido e vendido no Brasil em junho próximo, a Hyundai vai renovar pela primeira vez o SUV compacto Creta, o segundo modelo fabricado pela coreana em Piracicaba (SP), lançado aqui em 2017.

O Creta é um SUV projetado para mercados emergentes pela Hyundai. O modelo também é produzido na Índia, onde a renovação foi feita no ano passado e as exportações também foram iniciadas – inclusive para o México, primeiro mercado latino-americano a receber o carro. Por isso o novo desenho já é conhecido – e criticado pelas formas pouco usuais.

Não se espera grandes mudanças em relação ao Creta que será fabricado em vendido no Brasil, que receberá atualizações tecnológicas já presentes em outros carros da Hyundai. Ao contrário do modelo indiano vendido no México, a expectativa é que o SUV deverá ser equipado com os motores já disponíveis aqui, incluindo os 1.6 e 2.0 aspirados utilizados na versão atual do modelo e também o turbo 1.0 TGDI lançado na nova linha HB20 em 2019.

DOIS SUVS FIAT SOBRE A PLATAFORMA DO ARGO




Primeiras imagens do Progetto 363 por inteiro: SUV-cupê Fiat começa a ser produzido e vendido em agosto

Garantindo grande compartilhamento de peças entre modelos fabricados no Brasil, a plataforma Type 199, a mesma utilizada pelo hatch Argo, dará origem aos dois primeiros SUVs compactos a da Fiat no País, ambos a serem produzidos em Betim (MG) – dois projetos que também foram atrasados em alguns meses por causa da pandemia.

Ao que tudo indica, a marca italiana vai utilizar estratégia parecida com a da Volkswagen, que lançou o SUV compacto T-Cross em 2019 e um ano depois o SUV-cupê Nivus, ambos construídos sobre a base modular da MQB. A Fiat pretende fazer algo parecido ao contrário e em tempo menor.

Primeiro, em agosto próximo, começa a produzir e vender no Brasil o SUV-cupê com dimensões próximas do Argo, ainda sem nome divulgado e conhecido como Progetto 363, que já teve diversas informações e imagens divulgadas, com revelação das formas finais na terça-feira, 4 de maio, durante a final do Big Brother.

Já se sabe que algumas de suas versões vão oferecer câmbio automático CVT e usar o novo motor turbo tricilíndrico 1.0 de 130 cavalos, que também começa a ser fabricado este ano no Polo Automotivo Fiat de Betim. Outra característica divulgada é que o modelo vai incorporar o sistema de conexão do veículo com a internet Fiat Connect Me, que estreou em abril na nova Toro e inclui uma plataforma de serviços conectados.

Seis meses depois, está previsto para fevereiro de 2022 o início da produção e vendas do segundo SUV Fiat, este conhecido como Progetto 376, também baseado sobre a plataforma Type 199, mas com carroceria mais tradicional e dimensões próximas da categoria C (hatch médio). As tecnologias e opções de powertrain deverão ser as mesmas incorporadas pela maioria dos carros da marca nos próximos meses.

COMMANDER DEVE SER O JEEP DE SETE LUGARES BRASILEIRO




O novo Cherokee (à direita) deve ter algumas de suas formas incorporadas pelo Jeep de sete assentos que começa a ser produzido no Brasil em agosto: a aposta é que o nome será Commander. O SUV foi flagrado camuflado rodando em testes, como na foto publicada pelo Motor1

Com visual que, segundo especulações da imprensa especializada, deve ser baseado no novo Cherokee, está na reta final de preparativos o terceiro Jeep brasileiro, a ser produzido em Goiana (PE) a partir de agosto próximo, quando também começam as vendas no mercado brasileiro. De acordo com a diretoria do Grupo Stellantis, trata-se de um projeto brasileiro de um SUV de sete lugares – que já deveria estar à venda neste semestre se não fosse a pandemia.

Até o ano passado esperava-se que o novo SUV poderia se chamar Grand Compass – mesmo tipo de nomenclatura de outros modelos da marca com carroceria estendida e três fileiras de assentos. Mas no início de abril a Jeep divulgou um vídeo de 19 segundos dando algumas pistas sobre design e mostrando as letras “E” e “R” fixadas na carroceria, o que levou a acreditar que seria o final de Commander, nome já utilizado pela Jeep em um modelo na China e em outro antigo fabricado nos Estados Unidos entre 2005 e 2010. Semanas depois, executivos da Jeep disseram que o nome inteiro do carro já tinha sido exposto em nuances desse vídeo e alguns jornalistas apuraram que a rebuscada trilha sonora confirmava que é Commander.

Seja lá qual for o nome, é fato que o novo Jeep de sete assentos é construído sobre a mesma plataforma Small-Wide do Renegade e Compass também fabricados na unidade pernambucana, por isso compartilha diversos componentes. O painel, volante, quadro de instrumentos e tela da central multimídia de 10,1 polegadas serão os mesmos lançados este mês no Compass 2022, bem como as duas opções de powertrain, com motor diesel 2.0 e câmbio automático de 9 marchas (ambos importados) ou o novo turboflex 1.3 T270 de 185 cavalos que começou a ser produzido em março passado pela Stellantis no Polo Automotivo Fiat de Betim.

UM CITROËN C3 MAIS ALTO DE CARONA NA ONDA SUV




As prováveis formas do novo C3 CC21 foram retratadas por Laurent Reynes no site francês Passionnément Citroën: hatch com suspensão elevada será produzido em Porto Real (RJ) sobre a plataforma CMP a partir de setembro

Outra marca do Grupo Stellantis, a Citroën também tem um lançamento importante agendado para este ano, o novo C3, que passa a ser fabricado a partir de setembro próximo em Porto Real (RJ) sobre a plataforma modular CMP – desenvolvida pelo Grupo PSA antes da fusão com a FCA e já aplicada no novo Peugeot 208 produzido na Argentina. Porderá trazer algum alívio à marca francesa, que desde março encerrou a venda no Brasil da versão antiga do C3 e atualmente só tem o C4 Cactus e a van Jumpy no seu portfólio nacional.

Primeira cria do Projeto CC21 (de C-Cubed, em alusão aos adjetivos cool/descontraído, clever/inteligente e confort/confortável), o novo C3 brasileiro será mais um hatch compacto a tentar pegar carona na onda SUV, com suspensão mais elevada e carroceria estilo aventureiro, com apliques plásticos nos para-lamas e para-choques – como modelos antes conhecidos no Brasil como cross e hoje também chamados de CUVs, de compact utility vehicles.

Nomenclaturas criativas exóticas à parte, o C3 montado sobre a plataforma CMP não é o mesmo carro lançado na Europa, mas uma versão simplificada e mais barata, ainda equipada com o mesmo motor 1.6 aspirado de 118 cv que já completa uma década sem grandes evoluções. Ao que tudo indica, ainda não deu tempo de adaptar ao carro os novos motores turbinados do Grupo Stellantis que já começam a equipar modelos Fiat e Jeep.

HONDA DEVE TROCAR FIT POR NOVO CITY HATCH




O City Hatch lançado pela Honda na Índia: produção no Brasil começa no fim de 2021 para substituir o Fit

Aproveitando a renovação prevista do sedã City que produz no Brasil desde 2009, a Honda vai lançar também a versão hatch do modelo – ambos são projetos para mercados emergentes da marca japonesa já fabricados e lançados em 2020 na Índia e Tailândia. Os dois serão produzidos a em Itirapina (SP), fábrica inaugurada em 2018, para onde a Honda está transferindo toda a montagem de veículos antes executada em Sumaré (SP).

O City HB começa a ser produzido a partir de novembro próximo e as vendas iniciam em dezembro. O sedã está programado para um mês depois, mas em função de muitas variáveis como falta de componentes e evolução da pandemia e do mercado, essas datas podem sofrer alterações.

Segundo a imprensa especializada, a chegada do City HB deverá tirar de linha o Fit no mercado brasileiro, até agora único hatch da marca no País, que após o Civic foi o segundo Honda nacional, produzido desde 2003. A maioria das apostas converge para o uso do motor 1.5 com injeção direta, o mesmo usado pelo Civic, mas sem turboalimentação, o que deve render potência de até 130 cv.



Por sua importância para a cadeia de suprimentos no Brasil, todos os veículos listados acima serão retratados na seção Raio-X, levantamento regular realizado pela consultoria IHS Markit em parceria com Automotive Business, que mostra os principais fornecedores de cada carro recém-lançado. Também serão preparadas coberturas especiais com todas as reportagens e vídeos sobre o lançamento. O primeiro dessa lista é o Toyota Corolla Cross.
> Acesse aqui a página especial de cobertura do lançamento do Corolla Cross .
> Faça aqui o download do Raio-X do Corolla Cross .





Tags: Lançamentos, indústria, investimentos, fábrica, Stellantis, Fiat, Progetto 363, Jeep, Comander, Citroën, C3 CC21, Volkswagen, Taos, Hyundai, Creta, Honda, City, Toyota, Corolla Cross, coronavírus, pandemia, Covid-19.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now