Reposição automotiva crescerá dois dígitos, avalia Sindirepa

Mas o setor, que terá destaque na Automec, tem dificuldade em encontrar bons profissionais

Por Paulo Braga
  • 09/08/2021 - 00:00
  • | Atualizado há 1 semana, 3 dias
  • 2 minutos de leitura

    Luiz Sergio Alvarenga, diretor da Alvarenga Projetos Automotivos e diretor executivo do Sindirepa Brasil (associação fundada em 2013 que reúne entidades empresariais da reparação de veículos), avalia que de uma forma geral a pandemia não afetou negativamente o mercado de reposição. “Pelo contrário, só potencializou, pois com as vendas de veículos novos em queda desde o início da pandemia, a procura por manutenção dos veículos se acelerou. Mesmo com a retomada das vendas de veículos usados, estes, quando são comercializados, costumam realizar manutenção”, afirma.

    Ele explica que o mercado de aftermarket segue a seguinte equação: quando se vende carros novos a reposição caminha bem, quando não se vende veículos novos a reposição caminha muito bem!

    Sergio antecipa que este ano a expectativa é de crescimento do segmento acima de dois dígitos no que se refere a passagens de veículos nas oficinas: “Como as oficinas têm 70% do seu faturamento em peças, o resultado será muito melhor que em 2020”.

    “Nosso maior problema está sendo encontrar bons profissionais para atender essa demanda crescente”, esclarece.

    AUTOMEC



    A Automec é o evento mais importante do segmento de reposição e a mais completa plataforma de conexão do aftermarket automotivo. "O mercado de reposição continua aquecido e essa movimentação intensa está refletida no evento. Temos as principais marcas de reposição, manutenção, reparação, acessórios e equipamentos automotivos na feira, que vai acontecer de 9 a 13 de novembro de 2021 no Expo Center Norte em São Paulo . As empresas sabem o quanto é importante utilizar o momento do evento presencial para se conectar com os profissionais, sejam eles fabricantes, distribuidores, revendedores, mecânicos ou os responsáveis pela gestão das oficinas. Além disso, criamos recentemente a Automec 365, uma extensão digital do evento presencial, com o objetivo de informar, conectar e promover oportunidades de negócios durante os 365 dias do ano”, afirma Ricardo Barbosa, gerente da Automec na Reed Exhibitions, promotora do evento.

    A Automec 2021 já conta com praticamente 100% das áreas contratadas para a realização do evento. A iniciativa é considerada a maior do setor de autopeças na América Latina e ocorre a cada dois anos. Sua última edição foi feita em abril de 2019, quando registrou público de 75 mil visitantes e cerca de R$ 77 milhões em negócios.

    Elias Mufarej, diretor do Sindipeças para o mercado de reposição e fomento às exportações, reforça a importância da Automec para o segmento de aftermarket: “Trata-se da principal feira de autopeças da América Latina e tem o apoio institucional do Sindipeças desde sua criação, em 1993. Os fabricantes de autopeças podem mostrar seus produtos a potenciais compradores brasileiros e estrangeiros e fechar negócios. É também excelente espaço de integração entre representantes de mercados latino-americanos e entre todos os elos da cadeia da reposição automotiva.”

    O segmento da reposição deve representar 18% do faturamento total estimado pelo Sindipeças para este ano, de cerca de R$ 143 bilhões. Esses indicadores são revistos e ajustados, se necessário, algumas vezes ao ano. Veja outros dados nesta tabela.

    DESEMPENHO



    Segundo levantamento do Sindipeças, entidade que reúne cerca de 500 empresas de autopeças, em maio o faturamento nominal do mercado de reposição – calculado a partir da aplicação de média móvel trimestral e com empresas que segmentam as informações entre linha leve e pesada –, após ter apresentado queda em abril (1,2%), registrou leve alta de 0,68% na passagem mensal. Na comparação interanual, a alta superou 107,3% e no acumulado do ano ultrapassou 55%, tendo em vista a paralisação das atividades em 2020 por causa da pandemia do covid-19.

    Quando se analisa as vendas para o mercado de reposição de leves, a alta mensal foi de 1,63%, com aumento de 138,9% em relação a maio de 2020 e de 68,9% no acumulado até o quinto mês do ano.

    Ainda de acordo com o Sindipeças, para o segmento de pesados registrou-se queda de 1,68% na passagem mensal, com alta de 54,5% na comparação com maio de 2020. A entidade avalia que é necessário lembrar que as linhas de veículos pesados e de máquinas agrícolas, seja no mercado original ou de reposição, foram menos impactadas pela crise em 2020 e seguem com elevados resultados em termos de produção e vendas.

    O levantamento, que faz parte da Pesquisa Conjuntural Mensal do Sindipeças, tem como base amostra do faturamento de 45 empresas do segmento de reposição associadas ao Sindipeças.