Argentina registra queda na produção e nas vendas em julho

Montadoras produziram 20,2% a menos do que em junho; vendas no atacado caíram 13,5% segundo a Adefa

Por REDAÇÃO AB
  • 05/08/2021 - 16:25
  • | Atualizado há 1 mês
  • um minuto de leitura
    As fabricantes instaladas na Argentina produziram em julho 31,9 mil automóveis, número que corresponde a uma retração de 20,2% frente aos pouco mais de 40 mil veículos fabricados em junho, de acordo com o balanço mensal divulgado pela Adefa (associação das montadoras argentinas) na quinta-feira, 5. Já em relação a julho de 2020 (quando o mercado ainda sofria os impactos da pandemia e apenas 21,3 mil unidades deixaram as linhas de montagem) houve alta de 49,8%.

    O principal motivo para a retração, segundo a entidade, foi o baixo número de dias úteis em julho (16), resultado das medidas tomadas pelas empresas por conta de férias concedidas aos trabalhadores e pela necessidade de adequação das linhas de produção. No acumulado do ano, foram produzidas 225,5 mil unidades, avanço de 109,3% sobre as 107,7 mil fabricadas no mesmo período de 2020.

    “Em julho, várias fábricas concederam férias, medidas que se refletiram nas estatísticas do mês, mas estamos vendo valores de produção e de vendas superiores ao período pré-pandemia, o que mostra o grande trabalho e esforço que o setor como um todo vem realizando”, afirmou Daniel Herrero, presidente da Adefa.



    A indústria argentina registrou leve crescimento (1,9%) nas exportações, com 23,2 mil veículos embarcados, o que, segundo Herrero, “indica recuperação também dos mercados aos quais estamos exportando”. As vendas para outros países totalizou pouco mais de 131 mil unidades no acumulado entre janeiro e julho, o que representa alta de 108,6% na comparação com o número dos sete primeiros meses do ano passado (62,8 mil veículos).

    Já nas vendas no atacado (veículos que as montadoras entregam para as concessionárias) a Adefa informou que foram comercializadas 24,3 mil unidades em julho, ou 13,5% a menos do que em junho (28,1 mil) e 8,4% a mais do que o mesmo mês do ano passado. De janeiro a julho, as fabricantes venderam 196,7 mil automóveis para as revendas, o que representa avanço de 35,1% sobre os 145,6 mil exemplares entregues nos sete primeiros meses de 2020.