Como a Randon contornou a crise com investimento em inovação

Empresa continuou investindo em novas soluções, que a ajudaram a registrar receita líquida recorde

Por BRUNO DE OLIVEIRA, AB
  • 09/08/2021 - 14:19
  • | Atualizado há 1 mês, 1 semana
  • um minuto de leitura

    Ao longo da pandemia em 2020 muitas empresas trataram de congelar investimentos e redirecionaram seus recursos para manter as atividades de suas fábricas. A Randon, por outro lado, decidiu seguir seu cronograma de aportes em inovação e, ao final do ano passado, percebeu que a medida não apenas ajudou a companhia em termos de resultado, mas também a inseriu ainda mais no contexto da tecnologia industrial.

    "Temos muito enraizada a cultura da inovação e, a partir disso, nossa decisão foi a de manter a cultura viva dentro da empresa e apostar em novos modelos de negócio que poderiam impulsionar as demais áreas da companhia, como nossa unidade montadora, fabricante de peças e de serviços financeiros", disse Veridiana Sonego, diretora de planejamento e comunicação no #ABPlan - Planejamento Automotivo 2021, evento on-line realizado por Automotive Business.

    No ano passado a empresa criou seu braço digital com o lançamento da Randon Ventures, por meio da qual as Empresas Randon investirão em startups. Meses depois veio a criação da Conexo, espaço físico de interação com empreendedores, universidades e empresas de tecnologia. Na sequência, lançou a fintech R4, uma startup que atua no setor financeiro, e a RTS, divisão de robótica aplicada na indústria .

    O processo de transformação digital, afirma a empresa, viabilizou no ano passado o registro de resultados importantes, como receita líquida recorde de R$ 5,4 bilhões, alta de 6,5% sobre o indicador registrado em 2019. "Mesmo em um ano desafiador, tivemos um desempenho muito bom, alicerçado por nossos planos de expansão e pelos investimentos em inovação, que seguiram como foco”, comentou o CEO Daniel Randon à época.

    Para Veridiana Sonego, o investimento no universo digital, ainda, representa para a companhia uma estratégia de longo prazo que tem como objetivo preparar a empresa para os ciclos futuros, os quais podem envolver também outras crises setoriais. "Acreditamos no crescimento por meio da inovação, porque ela moderniza o negócio e prepara a companhia para o futuro de forma antecipada, nos ajudando a entender melhor os novos cenários", finalizou a executiva.