Exportações registraram queda de quase 30% em julho

Crise dos semicondutores teve forte impacto na venda para outros países; retração já era esperada, segundo Anfavea

Por WILSON TOUME, PARA AB
  • 06/08/2021 - 15:44
  • | Atualizado há 1 mês
  • um minuto de leitura
    A Anfavea – associação que representa as montadoras nacionais – apresentou seu balanço mensal durante evento na sexta-feira, 6, no qual informou que o setor registrou forte retração nas exportações no mês de julho.

    De acordo com a entidade, foram embarcados 23,8 mil veículos no mês, contra 33,5 mil exportados em junho, o que representa queda de 29,1%. Para se ter ideia, a redução em julho foi tão grande que o total de unidades enviadas para outros mercados ficou 18,4% abaixo até do registrado no mesmo mês do ano passado – quando o setor ainda estava se recuperando da primeira onda da pandemia – que foi de 29,1 mil exemplares.

    “Isso não é um problema de mercado, nós estamos sendo afetados pela indisponibilidade de veículos para exportação por conta dos semicondutores, o que era normal de se esperar”, afirmou Luiz Carlos Moraes, presidente da Anfavea. “Os principais mercados da América Latina estão crescendo, o que provoca essa preocupação adicional para nós, sobre como atender esses países”, completou.

    O recuo no número de veículos exportados também se refletiu nos valores e o setor contabilizou US$ 558,8 milhões em julho, o que representa redução de 6,1% frente aos US$ 595 milhões registrados em junho. No acumulado de janeiro a julho, as montadoras totalizam US$ 4,2 bilhões negociados em exportações, com alta de 59% sobre o total do mesmo período do ano passado que, não custa lembrar, foi muito baixo por conta dos efeitos da pandemia.



    - Faça aqui o download do balanço da Anfavea com os volumes de produção, vendas domésticas e exportações no período janeiro-julho 2021
    - Veja outras estatísticas em AB Inteligência