Mercado de automóveis tem o pior resultado desde 2005

Falta de produtos resultou em queda de 7,3% no segmento; em compensação, comerciais leves registraram alta de 7% no mês. Expectativa no setor é otimista

Por REDAÇÃO AB
  • 03/08/2021 - 15:23
  • | Atualizado há 1 mês
  • 53 segundos de leitura

    O mercado de automóveis de passeio registrou queda de 7,3%, com 123,5 mil unidades emplacadas em julho, na comparação com o mês anterior, quando foram licenciadas 133,3 mil unidades, de acordo com o balanço mensal da Fenabrave (entidade que reúne os donos de concessionárias no País), divulgado na terça-feira, 3. Foi o pior resultado para um mês de julho desde 2005 e a explicação, segundo a entidade, é a escassez de produtos provocada pelas dificuldades enfrentadas pela indústria com a falta de insumos e componentes, como adiantamos aqui.

    Em compensação, o segmento de comerciais leves apresentou bom desempenho em vendas no mês, com 38,8 mil unidades emplacadas em julho, o que significa crescimento de 7% sobre os 36,2 mil exemplares vendidos em junho. Para a Fenabrave, esse resultado poderia ter sido estendido às vendas de carros de passeio, caso houvesse disponibilidade de produtos.

    “A economia está, aos poucos, retornando à normalidade, com o avanço da vacinação e há boa oferta de crédito, com um nível de aceitação de propostas de sete para cada dez enviadas aos bancos”, afirmou Alarico Assumpção Júnior, presidente da Fenabrave.





    No acumulado do ano, o setor registra 1,169 milhão de automóveis de passeio e comerciais leves comercializados, com alta de 26,1% sobre os 926,2 mil modelos licenciados no mesmo período do ano passado, que foi fortemente impactado pela pandemia.