Os planos da Mercedes-Benz para os fornecedores no Brasil

Matthias Kaeding, diretor de compras, fala dos desafios impostos pela crise, dos planos de intensificar a colaboração e de elevar a nacionalização

Por BRUNO DE OLIVEIRA, AB
  • 17/08/2021 - 19:50
  • | Atualizado há 3 semanas
  • 57 segundos de leitura


    A pandemia estreitou ainda mais as relações entre as montadoras e seus fornecedores, sobretudo neste momento de transformações no modelo logístico. Neste contexto, a Mercedes-Benz aponta que passou a se conectar mais com a cadeia de suprimentos pelo ambiente digital, a buscar soluções para temas de curto prazo e, também, discutir nacionalização de componentes como forma de proteção ao câmbio.



    Este texto integra a cobertura especial dos 65 anos da primeira fábrica da Mercedes-Benz no Brasil
    - LEIA TAMBÉM:

    > Em 65 anos, Mercedes-Benz trouxe evolução industrial e humana ao Brasil
    > O polonês que trouxe a Mercedes-Benz ao Brasil
    > Os 65 anos de estrada da Mercedes-Benz do Brasil
    > Com caminhões autônomos, Mercedes-Benz redesenha futuro do segmento



    Neste vídeo, o diretor de compras Matthias Kaeding fala sobre o cotidiano do departamento nesses novos tempos e como ganha ainda mais relevância o papel do fornecedor dentro da operação da montadora. “Nunca tivemos um momento mais desafiador do que este”, comenta o executivo, citando, afora a pandemia, a transição para o Euro 6 – a nova etapa da legislação de emissões para pesados, o Proconve P8 – como o principal desafio do setor no momento.