Pandemia também mudou o perfil do consumidor, diz Ipsos

Preferências e meios de compras mudaram ao longo da pandemia, indica pesquisa da empresa

Por BRUNO DE OLIVEIRA, AB
  • 09/08/2021 - 13:00
  • | Atualizado há 1 mês, 1 semana
  • um minuto de leitura

    A pandemia também promoveu alterações na forma como o consumidor de veículos interage com os canais de vendas. Pesquisa realizada pela Ipsos este ano em 28 países, concluiu que os pontos de venda deverão passar por processo de transformação para prospectar um novo perfil de cliente moldado nos últimos meses pandêmicos.

    "É o momento do que chamamos de figital, ou seja, quando o mundo físico e o digital se fundem em um novo canal de compras de automóveis", disse o CEO Marcos Calliari no #ABPlan - Planejamento Automotivo 2021, realizado on-line por Automotive Business na terça-feira, 3. "Afora as mudanças nas lojas, é preciso atentar para como as pessoas estão reagindo aos indicadores macroeconômicos."

    Nesse sentido, explica Calliari, as montadoras e concessionárias deverão aferir o indicador de bem-estar para traçarem suas metas comerciais a partir de 2022, ano do qual se espera uma retomada tanto no ritmo das fábricas quanto das vendas. "Preço, ambiente de venda, tudo isso passa a depender da perspectiva do cliente acerca da sua renda, sua saúde, dentre outros fatores pessoais", completou o executivo.

    Nas entrevistas realizadas para composição da pesquisa, a Ipsos constatou que são três os fatores que vão determinar o mercado automotivo no ano que vem: o avanço da vacinação no segundo semestre, abastecimento normalizado dos componentes e, por fim, do entendimento de como cada segmento da sociedade está enfrentando a situação pandêmica – aqui aparecem como fatores o nível de emprego e renda e sua relação com o consumo.

    A pesquisa também aferiu a preferência dos entrevistados no que diz respeito às preferências por canais de vendas: 22% afirmaram que prefere o meio digital, 39% preferem presencial e, 38% dos entrevistados, ambos os ambientes. Isso, segundo Calliari, indica que não haverá mais um padrão de compra no pós-pandemia.

    "Antes se desenhava um canal de venda considerando públicos específicos para cada um dos ambientes, físico ou digital. Isso acabou e a tendência é de integração dos dois ambientes, de possibilidades de negócios nos dois", disse o CEO da Ipsos.