Para ser líder, novo Hyundai Creta parte de R$ 107 mil, mas mantém o antigo à venda

Com adoção do novo motor 1.0 turbo, do design polêmico e de muita tecnologia, o SUV compacto chega aos R$ 147 mil

Por ZECA CHAVES, AB
  • 25/08/2021 - 15:42
  • | Atualizado há 2 semanas, 1 dia
  • 5 minutos de leitura

    Depois de meses liberando fotos e vídeos aos poucos, a Hyundai finalmente apresentou nesta quarta-feira, 25, a nova geração do Creta, que recebeu uma dose massiva de tecnologia e segurança para tentar roubar do Jeep Renegade a liderança do mercado de SUVs que a marca coreana tanto almeja.

    Para alcançar essa meta, o SUV vai contar também com um design fora do convencional e uma nova opção de motor 1.0 turbo, além de manter em linha o antigo Creta para compensar seu aumento de preço, que começa em R$ 107.490 e pode chegar aos R$ 147.990 quando estiver carregado com seu impressionante pacote de recursos ativos de auxílio ao motorista, que são mais comuns em segmentos superiores.

    Na sua missão de torná-lo o SUV mais vendido do Brasil, a Hyundai optou por deixar a geração anterior à venda em uma versão única, batizada de Action, com o motor 1.6 flex, por R$ 96.490, que a montadora estima que deverá representar uma generosa fatia de 30% das vendas totais da linha Creta.


    O objetivo da marca de se tornar a número 1 do segmento é tão forte que o CEO da Hyundai no Brasil e na América Latina, Ken Ramirez, abriu sua apresentação à imprensa reforçando que o Creta é hoje o SUV mais vendido no varejo, quando se subtrai as vendas diretas, uma das grandes forças da Jeep.

    “É uma grande honra ter o Hyundai Creta como o líder absoluto de vendas ao consumidor final no segmento de crescimento mais rápido do mercado brasileiro e o mais popular entre os SUVs”, disse Ken Ramirez, sem mencionar que Renegade e Compass estão à frente no critério de vendas totais.



    VISUAL QUE NÃO TEM MEDO DE OUSAR



    Possivelmente boa parte das maiores qualidades do Creta 2022 ficará encoberta pelos comentários da crítica e do público sobre seu design, que vai do ousado ao polêmico, ao abandonar a configuração tradicional dos faróis – e também das lanternas.

    O modelo nacional – o SUV é produzido na fábrica de Piracicaba (SP), apenas para abastecer o mercado interno – segue o mesmo estilo das versões já apresentadas na Índia, China e Rússia, com alguns ajustes, principalmente na grade, que parece mais elaborada na versão brasileira.

    Só é bom ficar atento na hora da compra, pois haverá duas grades diferentes nas lojas, uma para a opção de entrada, a Comfort, e outra para Limited, Platinum e Ultimate (veja foto abaixo).


    Grade da versão Comfort (dir.) é diferente das demais

    Ao falarmos das quatro versões, é preciso ter em mente que cada uma tem uma única motorização. As três primeiras passam a ser equipadas com o novo motor 1.0 turbo flex de 120 cv e 17,5 mkgf – é o mesmo da linha HB20 e ficará no lugar do 1.6 aspirado, de 130 cv e 16,5 mkgf, que permanece vivo na geração antiga Action. A topo de linha Ultimate terá à disposição só o 2.0 aspirado flex, de 167 cv e 20,6 mkgf. Nas duas opções, o câmbio é sempre um automático de 6 marchas.

    Embora sua plataforma seja estruturalmente a mesma, houve uma série de evoluções que permitiram mudar a distância entre-eixos, que cresceu 2 cm (agora tem 2,61 m), contra apenas 1 cm no comprimento (4,30 m), o que melhorou o espaço interno, especialmente para pernas e ombros no banco traseiro, segundo a montadora. Mas acabou perdendo um pouco do porta-malas, que caiu de 431 para 422 litros.

    MAIS SEGURANÇA NAS VERSÕES CARAS



    Sem dúvida, o maior avanço com a estreia do novo SUV é a quantidade de tecnologia, conectividade e segurança que está disponível agora. Claro que a maior parte desse show de modernidade está nas versões mais caras, principalmente na Ultimate, de R$ 146.990, que traz uma série de recursos de auxílio ao motorista.

    Entram nessa lista frenagem autônoma, assistente de permanência e centralização em faixa, controle de cruzeiro adaptativo, farol alto adaptativo (baixa a luz quando cruza com outro veículo) e detector de fadiga.


    Já a versão imediatamente inferior, Platinum (R$ 135.490), oferece poucos recursos de auxílio, como uma câmera de 360 graus e outra para monitoramento de ponto cego, que exibe suas imagens no quadro de instrumentos digital de 7 polegadas sempre que o motorista acionar o pisca-pisca.

    O lado positivo é que todas as versões trazem de série como equipamento de segurança seis airbags, controle de estabilidade, assistente de partida em rampa, monitoramento de pressão dos pneus e câmera de ré.

    REFORÇO NA CONECTIVIDADE



    A conectividade é outro grande trunfo da nova geração, com a perfeita combinação do sistema Bluelink com a central multimídia de 10,25 polegadas, que infelizmente não caminham juntas – a primeira está disponível na versão Limited, mas a segunda apenas a partir da Platinum, dando lugar a uma central mais simples, de 8 polegadas, quando não está presente.


    O sistema Bluelink permite fazer o rastreamento do veículo, ligar o motor à distância para acionar o ar-condicionado e até ajustar a temperatura interna antes de chegar ao carro, além de receber alertas no celular e acessar as câmeras ao redor do veículo (há quatro, que formam a imagem 360 graus) para ver se há algo estranho nas proximidades.

    O Creta 2022 também conta com vários recursos tecnológicos de conforto, mas a maioria não está disponível na versão de entrada. É o caso dos espelhos rebatíveis eletricamente, carregador de celular sem fio e borboletas para trocas de marcha no volante (Limited), teto solar elétrico panorâmico, banco do motorista ventilado e painel de instrumentos digital de 7 polegadas com seletor para 4 modos de condução (Platinum) e faróis full-led com lanternas de led (Ultimate).

    Com um interior também renovado, encontramos uma central multimídia direcionada para o motorista e um console central elevado, para criar uma sensação de cockpit, além de uma série de acabamentos que têm como objetivo dar um ar mais sofisticado ao interior, como detalhes cromados nos comandos, revestimentos tridimensionais nas portas e painel que combina duas cores, marrom e bege, neste caso exclusivo da versão Ultimate.

    Por fora, a Hyundai oferece seis cores de pintura, com as sólidas Branco Atlas e Preto Onix, as metálicas Prata Brisk, Prata Sand e Cinza Silk, e a perolizada Azul Sapphire, além da opção bicolor (Dual Tone) só na Ultimate, com teto, moldura da coluna C e rack na cor preta.

    PREÇOS E PRINCIPAIS ITENS DE SÉRIE



    Comfort 1.0T: R$ 107.490

    6 airbags, controle de estabilidade, assistente de partida em rampa, freio a disco nas 4 rodas, monitoramento de pressão dos pneus, faróis de projetor, luzes diurnas de led (DRL), multimídia de 8 polegadas, câmera de ré, controle de limite de velocidade, ajuste de altura e profundidade do volante, rodas de liga leve aro 16.

    Limited 1.0T: R$ 120.490

    Pacote Comfort mais sistema de conectividade Bluelink, faróis de neblina, rodas de liga leve aro 17, espelhos rebatíveis eletricamente, carregador de celular sem fio, sensor de estacionamento traseiro, ar-condicionado automático digital, chave presencial, volante de couro, saídas de ar na traseira e borboletas para troca de marcha no volante.

    Platinum 1.0T: R$ 135.490

    Pacote Limited mais teto solar panorâmico, bancos de couro na cor marrom, banco do motorista com ventilação, painel de instrumentos digital de 7 polegadas com seletor de modo de condução, freio de estacionamento elétrico, alerta de ocupante traseiro, multimídia de 10,25 polegadas, câmera 360 graus, câmera de ponto cego.

    Ultimate 2.0: R$ 146.990

    Pacote Platinum mais frenagem autônoma, assistente de permanência e centralização em faixa, controle de cruzeiro adaptativo, farol alto adaptativo, rodas de liga leve aro 18, bancos de couro e interior na cor marrom/bege, faróis full led, lanternas de led, sensor de estacionamento traseiro, detector de fadiga.