Sem chips, Renault vai estender paralisação por duas semanas

Por falta de semicondutores, produção de veículos de passeio em São José dos Pinhais (PR) retorna apenas no fim do mês

Por REDAÇÃO AB
  • 06/08/2021 - 15:02
  • | Atualizado há 1 mês
  • um minuto de leitura

    Depois de suspender sua produção na última semana por falta de componentes eletrônicos, a Renault decidiu estender por mais duas semanas a paralisação no complexo industrial de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba (PR). Com o adiamento, também provocado pela escassez de semicondutores, a fabricação de veículos de passeio ficará interrompida até o dia 27 de agosto, segundo informou a montadora nesta sexta-feira, 6.

    A Renault havia concedido férias coletivas no último dia 29, com pausas diferentes dependendo da linha de montagem em que cada funcionário trabalhava. Na unidade chamada Curitiba Veículos de Passeio (CVP), que produz Captur, Duster, Kwid, Logan, Sandero e Stepway, a parada estava prevista para durar 10 dias, com retorno para 12 de agosto. Já na unidade Curitiba Veículos Utilitários (CVU), que fabrica o furgão Master, a duração seria de apenas cinco dias.

    Com a nova decisão, a produção dos veículos de passeio permanece suspensa e só deve retornar a partir do dia 28. Já a linha de montagem dos modelos comerciais continua em atividade e não será interrompida, por enquanto.

    A falta de componentes eletrônicos já afetou oito montadoras e 14 fábricas no Brasil, como mostrou um acompanhamento regular da consultoria Auto Forecast Solutions (AFS), dos Estados Unidos. Isso já levou a reduções ou paralisações das linhas de 41 modelos, com perdas somadas de 220 até o fim de julho. Somando todas as paradas ou cadência reduzida, a AFS estima perda equivalente a 270 dias de operações (veja lista completa das fábricas aqui).

    Entre os fabricantes mais afetados pela escassez de microchips está a GM: a fábrica de São Caetano do Sul – onde são produzidos Tracker, Joy, Joy Plus e Spin – vai ficar parada por dois meses, enquanto a unidade Gravataí (RS) – onde é montado o Onix – está paralisada desde março, com previsão de retorno só no dia 16 de agosto, após um período de cinco meses e meio de suspensão.

    Leia abaixo a íntegra do comunicado oficial da Renault.

    “A Renault do Brasil informa que em função dos impactos provocados pela Covid-19 na fabricação de componentes eletrônicos, a produção na fábrica de veículos de passeio, no Complexo Ayrton Senna, segue suspensa até o dia 27 de agosto. Não será possível o retorno da produção no dia 12 de agosto conforme previsto anteriormente, com o término das férias coletivas em vigor.”