Sem peças, Renault estende paralisação da fábrica pela 2ª vez

Complexo de São José dos Pinhais (PR) vai adiar retorno da produção de automóveis em uma semana

Por REDAÇÃO AB
  • 20/08/2021 - 14:43
  • | Atualizado há 2 semanas, 1 dia
  • um minuto de leitura

    A Renault anunciou nesta sexta-feira, 20, que vai estender em uma semana a paralisação da montagem de automóveis no complexo industrial de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba (PR), devido à escassez de semicondutores no mercado mundial. Com a nova medida, a fábrica ficará parada até o dia 3 de setembro.

    Este é o segundo adiamento do retorno da produção dos veículos de passeio apenas neste mês. No último dia 6, a montadora havia estendido a suspensão por mais duas semanas, com a volta prevista para o dia 30 de agosto, o que não será mais possível.

    A paralisação só se aplica à unidade chamada Curitiba Veículos de Passeio (CVP), que produz os modelos Captur, Duster, Kwid, Logan, Sandero e Stepway. Já na unidade Curitiba Veículos Utilitários (CVU), que fabrica o furgão Master, a produção não será afetada.

    Anteriormente, a Renault tinha concedido no dia 29 de julho férias coletivas com pausas diferentes dependendo da unidade em que cada funcionário trabalhava. A linha de montagem de automóveis parou por 10 dias e a de veículos comerciais por apenas cinco dias.

    Nas últimas semanas, outros fabricantes no Brasil também tiveram de parar a produção ou fazer ajustes na linha de montagem devido à falta de disponibilidade de componentes eletrônicos.

    No dia 11 de agosto, a Toyota anunciou a suspensão total da produção na fábrica de Sorocaba (SP), onde são montados Corolla Cross, Yaris (hatch e sedã) e Etios (somente para exportação), enquanto a unidade de Porto Feliz (SP), que faz motores, foi parcialmente atingida.

    No dia 17, o sindicato da região de Taubaté (SP) comunicou que a Volkswagen decidiu conceder férias coletivas pela terceira vez aos funcionários da fábrica onde são produzidos Gol e Voyage. Dois mil trabalhadores da unidade deveriam parar por 10 dias.

    No mesmo dia, a GM deu férias coletivas para 200 funcionários da fábrica de São José dos Campos (SP), onde são produzidos Chevrolet S10 e Trailblazer.

    Leia abaixo o comunicado oficial divulgado pela Renault na sexta-feira.

    A Renault do Brasil informa que em função dos impactos provocados pela Covid-19 na fabricação de componentes eletrônicos, a produção na fábrica de veículos de passeio, no Complexo Ayrton Senna, permanece suspensa até o dia 03 de setembro.

    Não será possível o retorno da produção no dia 30 de agosto conforme previsto anteriormente, com o término do período de aplicação da MP 1.045/21.