Vendas de agosto seguem em queda

Primeira metade do mês registra pior média diária de emplacamentos em um ano

Por PEDRO KUTNEY, AB (COM DADOS DA AUTOINFORME)
  • 17/08/2021 - 19:00
  • | Atualizado há 2 semanas, 3 dias
  • um minuto de leitura

    A paralisação ou redução no ritmo de produção das fábricas por falta de semicondutores continua a deprimir as vendas de veículos leves no País. Nos primeiros 11 dos 22 dias úteis de agosto, até a segunda-feira, 16, foram emplacados 74.921 automóveis e comerciais leves, segundo números apurados pela Autoinforme e Bright Consulting. O resultado revela queda contínua pelo terceiro mês seguido, com leve retração de 1% sobre o volume do mesmo intervalo de julho, que já tinha registrado queda de 6% ante a primeira metade de junho.

    As média de emplacamentos de 6.811 unidades licenciadas por dia útil em agosto até a segunda-feira, 16, é o pior resultado desde julho de 2020, quando foram licenciados apenas 5.581 veículos leves por dia.

    Faltam 11 dias úteis para fechar agosto e normalmente a segunda metade do mês registra mais vendas do que a primeira. Ainda assim, se as paralisações de produção continuarem será difícil superar os 164,4 mil veículos leves emplacados em julho, que já tinha registrado queda de 4% sobre junho. Se o ritmo atual não aumentar, agosto poderá ser o terceiro mês consecutivo de retração do mercado de automóveis.

    A boa notícia da retomada das operações na fábrica da General Motors em Gravataí (RS) nesta semana, após cinco meses e meio de parada total, só será sentida pelo mercado a partir de setembro, quando chegam às concessionárias Chevrolet as versões 2022 de Onix e Onix Plus fabricados na unidade gaúcha da montadora. Antes da interrupção na produção os dois veículos figuravam entre os mais vendidos do País e estão com entregas atrasadas, por isso podem puxar as vendas para cima quando de fato começarem a ser emplacados pelos clientes.