VWCO esgota cota de vendas de 200 e-Delivery deste ano

Um mês após lançamento, demanda atingiu capacidade máxima de produção do caminhão elétrico em Resende

Por REDAÇÃO AB
  • 18/08/2021 - 19:38
  • | Atualizado há 2 semanas, 1 dia
  • 2 minutos de leitura

    Cerca de um mês após o lançamento do e-Delivery, primeiro caminhão elétrico desenvolvido e produzido no Brasil, a Volkswagen Caminhões e Ônibus (VWCO) já esgotou a capacidade máxima de produção do caminhão elétrico na fábrica de Resende (RJ) prevista para este ano, de 200 unidades. Segundo a fabricante informou na quarta-feira, 18, desde 13 de julho 79 unidades do modelo foram encomendadas por clientes e concessionários, para entrega até o fim de dezembro.

    Essas vendas se somam aos 100 veículos que tinham sido encomendados pela Ambev (da intenção de compra de 1,6 mil até 2025) e já começaram a ser entregues no fim de junho, além de mais 20 comprados em julho pela Coca-Cola Femsa e um pelo frigorífico JBS, que devem ser entregues entre outubro e novembro, totalizando 200 e-Delivery vendidos até agora. Daqui em diante, clientes que comprarem o caminhão elétrico só vão receber a partir de janeiro de 2022.

    “Estamos muito satisfeitos com o entusiasmo do mercado brasileiro pelas novidades. As vendas recentes incluem os primeiros negócios com a Coca-Cola Femsa Brasil, de 20 unidades, e a JBS, que adquiriu seu primeiro caminhão elétrico VW. Outros 100 e-Delivery previamente negociados serão entregues à Ambev até o fim deste ano”, afirma Roberto Cortes, presidente da VWCO.

    “Clientes e concessionários se entusiasmaram com a proposta, que une a mais moderna tecnologia de transporte a um completo ecossistema que garante recarga, assistência técnica e busca do melhor custo total de propriedade. Nossa rede já está sendo treinada para o pós-vendas dos e-Delivery em cidades como São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Curitiba (PR), Goiânia (GO), Recife (PE), Cuiabá (MT) e Belém (PA)”, informa Ricardo Alouche, vice-presidente de vendas, marketing e serviços.

    A maior parte da demanda inicial pelo caminhão elétrico recaiu sobre o e-Delivery 14 toneladas 6x2, equipado com três módulos de baterias que garantem autonomia de até 110 km, com preço sugerido de R$ 795 mil. Foi a escolha da Ambev, que testou o modelo por dois anos em operações de distribuição de bebidas na cidade de São Paulo, e também da Coca-Cola Femsa, para aplicação idêntica. A versão tem peso bruto total de 14.300 kg e capacidade máxima de carga útil de 9.055 kg, a maior de caminhão elétrico no Brasil. Também é possível encomendar o e-Delivery 14 com seis módulos de energia, aumentando a autonomia para 250 km e o preço para R$ 980 mil.

    A outra versão do caminhão elétrico, o e-Delivery 11 toneladas 4x2, com seis módulos de baterias para 250 km, foi a escolha da JBS que comprou uma unidade para testes, que na tabela da VWCO sai por R$ 967 mil, ou R$ 780 mil com três módulos e autonomia menor de 110 km. Tem peso bruto total de 10.700 kg e capacidade de carga útil de 6.320 kg.

    As duas versões do e-Delivery são equipadas com motor elétrico de 300 kW (408 cv), que garante torque máximo de 2.150 Nm desde as primeiras rotações. Ambos têm suspensão pneumática de série, que permite suspender um dos eixos para aumentar a economia na operação.