Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Falta de peças em Manaus afeta venda de motocicletas

Indústria | 09/10/2019 | 19h50

Falta de peças em Manaus afeta venda de motocicletas

Problema atingiu especialmente modelos Honda e Yamaha de baixa cilindrada

MÁRIO CURCIO, AB

A falta de peças nas linhas de montagem de Honda e Yamaha em Manaus (AM) em meses recentes resultou em desabastecimento parcial das concessionárias. Como consequência, a média diária de venda de motos recuou das 4,4 mil unidades registradas entre março e maio para números entre 3,9 mil e 4,2 mil emplacamentos por dia nos meses seguintes. A informação foi confirmada por Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo, entidade que reúne fabricantes de motos e bicicletas instalados em Manaus.



- Faça aqui o download dos dados da Abraciclo
- Veja outras estatísticas em AB Inteligência



“As fábricas programam seus pedidos com antecedência de cinco a seis meses e alguns fornecedores não conseguiram acompanhar o aumento da demanda”, afirma o presidente da Abraciclo.



O desabastecimento não foi de um item específico, mas de componentes de diferentes segmentos. “E o fato de as fábricas de motos estarem em Manaus e a maioria dos fornecedores em outros Estados aumenta essa dificuldade”, diz o executivo. O problema atingiu especialmente motos de baixa cilindrada das linhas Honda CG 160, Yamaha YBR 150, scooters e motonetas. As fábricas acreditam na normalização do abastecimento até o fim do ano. As motos de alta cilindrada não teriam sido afetadas porque têm demanda menor e baixa dependência de componentes locais.

EMPREGO E PRODUTIVIDADE CRESCEM


Números atualizados fornecidos pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) mostram que de dezembro de 2018 a julho deste ano o setor de motos em Manaus passou de 12,5 mil para 12,9 mil colaboradores, pequeno aumento de 2,9%.

O ano de 2019 é o segundo seguido em que as fábricas contratam e o terceiro em que a produtividade anota crescimento. Durante o ano de 2016, cada trabalhador montou apenas 66 motocicletas. Esse número subiu para 73 em 2017, para 83 em 2018 e a projeção para 2019 é de 85 motos montadas por trabalhador na Zona Franca de Manaus.

Em 2011, o melhor ano para o setor de motos, as indústrias do segmento empregavam 20,5 mil colaboradores e cada um montou 104 motocicletas. A produção total naquele ano superou os 2 milhões de motocicletas.

Abaixo, o quadro de empregos e produtividade no Polo Industrial de Manaus (PIM):




Veja também a entrevista em vídeo com Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo:




Tags: Honda, Yamaha, CG 160, YBR 150, Abraciclo, Marcos Fermanian.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência